Da Redação JM Notícia

Pastor Elias Ramos Moreira, da igreja Assembleia de Deus Boliviana de Santa Cruz de la Sierra

O pastor Elias Ramos Moreira, da Assembleia de Deus Boliviana, tranquiliza a comunidade evangélica sobre a possível perseguição aos cristãos que o Novo Código Penal da Bolívia, proposto pelo presidente Evo Morales, foi aprovada.

Segundo o religioso, que é pastor naquele país há mais de 40 anos, não há razões para se desesperar neste momento, pois se for aprovada – o que não está garantido – irá demorar mais de um ano para entrar em vigor.

“As notícias chegam exageradas aí no Brasil”, declarou. “Aqui está tudo em paz, a lei só irá vigorar daqui um ano e meio, se passar, porque o governo já concordou em revisar a lei juntamente com os setores da sociedade”, disse ele em entrevista ao JM Notícia.

O pastor, que é presidente da igreja em Santa Cruz de La Sierra, declara ainda que, na sua interpretação, o código penal não propõe a perseguição religiosa, mas sim o tráfico de pessoas. “A lei não fala diretamente que vai perseguir a igreja ou pastores, ela só proíbe o tráfico de pessoas”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Igrejas fazem manifestações contra o Novo Código Penal da Bolívia

Líder de uma grande igreja, o pastor se prepara para inaugurar uma nova igreja em outro estado boliviano. “Aqui não tem perseguição com a igreja”, assegura ele.

Assembleia de Deus Na Bolívia

As igrejas cristãs estão em oração para que os artigos que colocam em risco a evangelização sejam revogados. Assim como as reivindicações de outros setores como os médicos, a imprensa, entre outros. “Não se alarmem, somente orem. A igreja está jejuando e orando, esperamos que a lei seja revogada ou então reformada de forma mais clara para que as pessoas entendem”, completa.

Interpretação diferente 

Na visão do pastor, a lei não fala diretamente sobre perseguição religiosa. “A lei proíbe tráfico de pessoas e reuniões clandestinas. A lei não fala diretamente que vai perseguir igrejas e pastores”, completa. “A igreja tem que orar, porque a perseguição está prevista não só para a Bolívia, mas para todo o mundo”.

Ele alerta também para áudios mentirosos onde pessoas declaram que igrejas foram fechadas e pastores presos. Segundo ele, esses casos não ocorreram (até porque o novo código nem entrou em vigor).

VEJA TAMBÉM
Autoridades chinesas destroem igreja e espancam cristãos publicamente

A Igreja Assembleia de Deus Missão Brasileira foi inaugurada na Bolívia há 55 anos e tem uma convenção própria com mais de 400 pastores, só na cidade de Santa Cruz são mais de 200 ministros.