Da Redação JM Notícia

Vereador Tiago Andrino (PSB)

Durante a sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) desta sexta-feira (19) o vereador Tiago Andrino (PSB) pediu vistas ao seu próprio projeto de lei sobre a Ficha Limpa.

Com o objetivo de abranger ainda mais a lei da Ficha Limpa de 2014, Andrino apresentou um projeto sem saber que pode fazer a Câmara voltar a ser de maioria oposicionista. Isso porque o vereador Diogo Fernandes (PSD), presidente da CCJ, apresentou uma emenda para que cargos de confiança do Executivo não sejam ocupados por pessoas condenadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e Câmara Municipal.

A emenda atingiria o secretário Júnior Evangelista, deputado estadual, que está inelegível por ter tido as contas reprovadas pela Câmara de Miracema, logo, caso a lei fosse aprovada pelos vereadores, ele perderia o cargo.

O problema é que o suplente do deputado é o vereador Ivory de Lira (PPL) que é da oposição. Com Lira na Assembleia Legislativa, assumiu em seu lugar o vereador Moisemar Marinho (PDT), que é da base do Prefeito. Com Evangelista na secretaria, a Câmara voltou a ter dez vereadores da base e nove da oposição.

Se o secretário perder o cargo e voltar para a Assembleia Legislativa, Ivory de Lira assume novamente como vereador e a oposição volta a ser maioria na Casa, o que não seria interessante para o vereador Andrino.

Texto será avaliado na próxima terça 

Com o pedido de vistas, o vereador Tiago Andrino tem oito horas para devolver o texto na CCJ e o vereador Diogo Fernandes irá colocá-lo em pauta novamente na próxima terça-feira (23). De acordo com a assessoria do parlamentar, o pedido de vista foi para analisar à emenda apresentada pelo vereador Diogo Fernandes (PSD).

Se aprovado na CCJ, o texto segue para o Plenário. Se conseguir aprovação por lá, em 15 dias os secretários terão que apresentar documentos que comprovem que eles não possuem pendências que os impeçam de continuar no cargo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here