Da Redação JM Notícia

No Tocantins, os acidentes de trânsito figuram como a segunda maior causa de morte, são cerca de 500 mortes por ano de 2007 a 2016, sendo que a maioria das vítimas é do sexo masculino e usuários de motocicleta. Diante disso, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) apresentou, recentemente, uma proposta de ação integrada para redução de acidentes, baseada no diagnóstico situacional dos impactos do trânsito no Tocantins.

A proposta prevê ações em todo o Estado, principalmente nos 10 municípios de maior índice na taxa de morbidade e mortalidade (Palmas, Araguaína, Gurupi, Porto Nacional, Paraíso do Tocantins, Guaraí, Augustinópolis, Miracema, Miranorte e Wanderlândia). Neste contexto, Palmas, Araguaína e Gurupi aparecem respondendo juntas por 23,16% dos óbitos no trânsito, em 2016. Augustinópolis, Colinas, Paraíso do Tocantins e Guaraí responderam no mesmo ano por menos de 3% dos óbitos do Estado.

A proposta do Estado estimula a adesão dos gestores municipais, na municipalização do trânsito com agentes trabalhando e policiamento para a intervenção e fiscalização. Em Araguaína, já se iniciou o processo, por isso o foco é qualificar a equipe para que consiga reduzir o número de vítimas de forma eficiente. Em Gurupi, a SES busca introduzir a adesão de técnicos de trânsito e uma estratégia inicial com o gestor municipal.

Segundo o secretário de Estado da Saúde, Marcos Musafir, o governador Marcelo Miranda determinou, em janeiro de 2018, como medida efetiva de política pública do Estado, a nomeação da Comissão intersetorial Estadual de enfrentamento aos traumas de trânsito. Dentre as atribuições da Comissão estará a capacitação da equipe local para utilização de metodologia de análise de dados de forma integrada e estruturação da comissão de gestão da informação sobre mortalidade no trânsito para análise de dados de forma integrada e construção de planilhas padrão para a apresentação dos dados, fatores de risco e tabela de desempenho. O objetivo é evitar acidentes e salvar vidas.

VEJA TAMBÉM
Governadores aceitam acordo e estados terão carência de seis meses na dívida

Está previsto ainda a realização de Seminário Estadual de Segurança Viária, onde haverá assinatura dos termos de adesão ao projeto Vida no Trânsito para os municípios prioritários do Estado com maior taxa de mortalidade; a viabilização de um sistema de informação para as unidades do Samu e Corpo de Bombeiros; a qualificação da informação do Sistema de Informação Hospitalar; finalizar a implantação do sistema on-line da Polícia Militar (PM); termo de cooperação entre as instituições para a cessão de informação: Corpo de Bombeiros, Secretaria de Estado da Segurança Pública (PM e IML), Polícia Rodoviária Estadual, Coordenação do Samu, Coordenação do Sistema de Informação Hospitalar (SIH).

“Precisamos chamar a atenção da população para esta realidade preocupante! No Plano de Ação integrado, campanhas contínuas ocorrerão durante o ano e atividades como capacitação de multiplicadores e materiais didáticos para escolas, tudo para que se promova uma reação positiva no sentido das pessoas se conscientizarem de fazer sua parte para evitarmos acidentes e para um trânsito mais humano e seguro”, destacou o secretário Marcos Musafir.

VEJA TAMBÉM
Sine Tocantins disponibiliza mais de 350 vagas nesta terça-feira, 22

Também será criada a Comissão Estadual, com foco na evolução das estatísticas de mortalidade pelo trânsito do Estado, em que serão contemplados os outros municípios próximos à BR-153 (Rodovia Belém-Brasília), pois assim haverá impacto e redução na mortalidade.

No sistema de informação hospitalar, são previstos ainda a notificação e investigação dos acidentes de trânsito; a implantação do carimbo nos prontuários e a organização do processo com a recepção e o faturamento para a correta identificação dos acidentes de trânsito terrestre nas autorizações de internação hospitalar.

Acidente em Dianópolis

O Governo do Estado atuou rapidamente nas primeiras horas da madrugada desse domingo, 28, quando um acidente trágico, próximo ao município de Dianópolis, envolvendo um ônibus deixou sete mortos e dezenas de feridos.

Foi acionado o Plano de Contingência para Desastres da Secretaria de Estado da Saúde, convocando os médicos que atuam no Hospital Regional de Dianópolis (HRD), mobilizando ambulâncias e hospitais do entorno do município, Corpo de Bombeiros e Polícia Militar.

O HRD recebeu 20 pacientes do acidente, sendo que as sete vítimas mais graves foram encaminhadas para o Hospital Geral de Palmas, onde foram recebidas pela equipe multiprofissional da unidade e receberam todo o atendimento necessário.