Da Redação JM Notícia

Integrantes do bloco “Sou Cheio de Amor”, da Igreja Batista Atitude da Barra

Durante muitos anos evangélicos e Carnaval não se misturavam, até que começou a surgir os blocos religiosos que atraem quem quer curtir o feriado de uma forma animada, mas sem bebidas, mulheres peladas, e canções com letras de conteúdo inapropriado.

O Rio de Janeiro receberá, pela primeira vez, blocos evangélicos que passearão pela orla de Copacabana. “O conceito de Carnaval na cidade maravilhosa vai mudar”, diz a chamada do “Evangelismo de Carnaval” organizado pela Igreja Bola de Neve.

Dia 12 de fevereiro, às 12h, evangélicos de diversas denominações se encontrarão no posto 5 de Copacabana. Uma bateria de samba é confirmada para agitar os religiosos que forem participar desse evento, mas além disso, a igreja prepara um show com cantores gospel na quadra da Acadêmicos da Rocinha a partir das 17h.

“A época de Carnaval, segundo o mundo, é marcada por um espírito de sensualismo e vulgaridade. Tenha sabedoria na hora de escolher o que vestir. Vá com roupas leves: a camisa do Evangelismo, um shorts e chinelo”, declara a nota no site do evento.

VEJA TAMBÉM
Cancelamento do Carnaval de 2018 é cumprimento de profecia? Assista

Além do bloco da Bola de Neve, na Barra da Tijuca terá um outro bloco de evangélicos, o “Sou Cheio de Amor”, organizado pela Igreja Batista Atitude da Barra. Este será o quinto ano que os fiéis da igreja desfilarão, uma festa marcada para o dia 10 de fevereiro, a partir das 15h. Já no dia 12, a igreja levará seu bloco para Copacabana, participando do Evangelismo de Carnaval organizado pela Bola de Neve.

O Bloco Sou Cheio de Amor tem dois trios elétricos, uma bateria com 80 ritmistas e nos anos anteriores chegou a atrair 2.000 pessoas. “As pessoas que estão na praia nós convidamos para participar. Na grande maioria das igrejas as pessoas vão para retiros e nós não, nós vamos para a rua. Isso é o impacto”, explicou Renato Guimarães, coordenador do Impacto de Carnaval 2018 da igreja Batista Atitude.

“Ano passado, 220 pessoas aceitaram Jesus”, conta o coordenador sobre a conversão de fiéis durante o evento, mostrando que de fato eles realizam evangelismo durante a apresentação do bloco.

VEJA TAMBÉM
Igreja evangélica doa dinheiro para reconstrução de terreiro de candomblé que foi incendiado

Aliás, as pessoas que chegam para participar do bloco que estejam com bebida alcoólica nas mãos, logo é abordada por voluntários que oferecem água. “Eles olham para o lado e veem que ninguém está bebendo. Aí a equipe vem com nossa água que tem adesivo com a frase ‘eu sou a fonte da vida’. Distribuímos muita água por conta do calor também”, afirmou Guimarães.