Da Redação JM Notícia

O prefeito Ronaldo Dimas considerou que esses trabalhadores já pagam outros tributos e vistoria junto à Agência de Segurança de Transporte e Trânsito (ASTT)

A Prefeitura de Araguaína alterará artigo do novo Código Tributário Municipal para isentar os mototaxistas e taxistas da licença de R$ 118,94 anual para microempreendedores individuais (MEIs) junto à Secretaria Municipal da Fazenda. Em reunião realizada com as classes nessa quinta-feira, 15, no auditório da Prefeitura, no Centro, o prefeito Ronaldo Dimas considerou que esses profissionais já pagam outros tributos às esferas municipal e federal, inclusive como MEIs.

Além do valor que seria pago à Fazenda Municipal, as classes têm valores já repassados: R$ 52 mensais do Imposto Único do MEI ao Governo Federal e vistoria anual de R$ 72 para mototaxistas e R$ 60 para taxistas junto à Agência de Segurança, Transporte e Trânsito (ASTT).

Para a isenção das classes da licença, a Fazenda enviará uma emenda à Câmara para atribuir o vínculo tributário dos taxistas e mototaxistas somente à ASTT. Estiveram presentes à reunião secretários municipais, vereadores e agentes de trânsito.

Benefícios

O novo Código Tributário regulamentou a inscrição dos MEI que têm suas atividades voltadas para a prestação de serviços no cadastro de contribuintes municipais.  Como incentivo do Município ao microempreendedor, o código regulamenta a concessão de desconto de 50% sobre o valor anual das licenças de localização e de verificação dos estabelecimentos, bem como desconto de 50% das multas formais e obrigações acessórias aplicadas ao MEI.

VEJA TAMBÉM
Evento católico encerra programação de Carnaval na Via Lago, em Araguaína

Como microempreendedores, esses profissionais passam a contar com aposentadoria por idade, auxílio-doença e aposentadoria por invalidez e salário-maternidade, além de pensão por morte para seus dependentes.

Mais benefícios

O presidente da Cooperativa dos Mototaxistas, Morizon Arruda da Luz, fez elogios à infraestrutura implantada na cidade nos últimos anos, que tem beneficiado diretamente as classes.

“O asfalto da cidade melhorou demais. Antes do recapeamento eu gastava cerca de R$ 300 em manutenção com a moto. Ia até duas vezes desempenar a roda. Era buraco demais. Agora, diminui pela metade meu gasto com os reparos”, contou Morizon.

Com o maior programa de pavimentação do Estado do Tocantins, Araguaína já recebeu um total de 400 quilômetros de asfalto de qualidade, executados desde 2013.

Fiscalização

O prefeito Ronaldo Dimas também ouviu reivindicações dos trabalhadores quanto à fiscalização de motoqueiros e lotações trabalhando clandestinamente na cidade. Junto com o presidente da ASTT, Fábio Astolfi, Dimas pediu o apoio da população e transportadores na fiscalização. “Precisamos pedir conscientização da população que usa esse serviço ilegal, que não têm nenhuma segurança para fazer esse transporte”.

VEJA TAMBÉM
Católicos de Araguaína se preparam para VIII Quem Como Deus

Dimas também citou a parceria da Prefeitura com a Polícia Civil no combate à clandestinidade. “Com maturidade vamos encontrar a solução para cada ponto que colocaram aqui. Já elevamos a multa para quem não tem o registro para R$ 1 mil. Com o apoio da Polícia Civil, se não acabarmos com isto, vamos diminuir consideravelmente. Fazendo operações e prendendo muitos de uma vez só”.

O presidente da ASTT informou que em 2017 foram feitas 64 abordagens, removendo 52 automóveis e 18 motos que agiam sem autorização. Desses, 48 condutores flagrados realizando transporte remunerado de passageiros sem permissão e vistorias em seus veículos.