Da Redação JM Notícia

O pastor Joel Santana acredita que é hora da Igreja brasileira ocupar seu lugar

O pastor Joel Serra acredita que o Brasil tem um chamado para ser o celeiro espiritual com capacidade de exportar a mensagem da salvação para outros países. Em entrevista ao JM Notícia, o líder religioso cita profecias já dadas ao país neste sentido e nas artimanhas do inimigo para tentar impedir o cumprimento dessas profecias.

“No Brasil Deus tem levantados pessoas”, diz ele sobre os juízes e promotores que estão se levantando contra a corrupção do país. “As promessas que Deus fez para o Brasil continuam de pé, ainda que as igrejas não entendam isso”.

Contabilista, coach pessoal e profissional, o pastor Joel Serra entende que é hora dos evangélicos tomarem posições para que essas promessas se cumpram. “Nós somos um grande lago, mas com a água muito baixa. Nós precisamos ir mais a fundo, precisamos nadar nas águas de Deus”, declara.

Segundo ele estamos diante de um tempo profético e a participação na política é importante. “Nós precisamos ocupar todos os espaços políticos sim, porque temos exemplos na Bíblia de homens de Deus que ocuparam esses espaços com propósito e sabedoria”, diz o pastor da Igreja Assembleia de Deus no Rio de Janeiro, citando personagens bíblicos como José do Egito que foi levantado como governador.

“Deus espera de nós essa mesma postura para ocupar esses espaços, principalmente neste ano político, ocupando nas assembleias legislativas, na Câmara, no Senado, nos governos e até mesmo na Presidência da República”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Bolsonaro leva facada em ato de campanha em Minas; Assista

Através desse posicionamento e ocupando esses espaços políticos, na visão do pastor, será possível que o Brasil alcance a posição que Deus prometeu para a nação, mas antes é necessário passarmos por uma limpeza, tirando o que está em oculto e fazendo uma limpeza.

Evangélicos começam a reagir

Há um grupo formado por pastores e políticos evangélicos tentando articular candidaturas em todo o Brasil para aumentar a representatividade do segmento na política. O principal foco é o Congresso Nacional, aumentando de 93 deputados federais para 150 e de três senadores evangélicos para 15. A proposta ousada deve contar com o apoio de grandes denominações para surtir efeito.

Diante de leis que vão de encontro com os valores de família e contra a moral e bons costumes, aumentar a presença de evangélicos em todas as esferas é importantíssimo, como diz o pastor o Joel.

“Nossa nação cumprirá o seu propósito como leão adormecido que se levanta e ruge, levando o Evangelho para as nações”, completa. O pastor acredita também que os evangélicos devem se posicionar politicamente para proteger a família e fazer a diferença.

O pastor acredita que as lideranças devem pensar sobre este assunto e refletir sobre a importância dos evangélicos na política para que juntos consigamos fazer a diferença na nação.

VEJA TAMBÉM
Ministros do TSE consideram inevitável impedimento da candidatura Lula

“Por muito tempo entregamos a política e até a mídia nas mãos de satanás e hoje temos que lutar contra isto e ocupar nossos espaços na política e na televisão. É importante que venhamos a ocupar esses espaços e usá-los como instrumentos que levam a palavra profética e os princípios da palavra de Deus”.

Alguns nomes fortes no segmento gospel começam a mostrar interesse pela política, como é o caso da cantora Flordelis, missionária que possui um ministério forte de ação social no Rio de Janeiro. Ao JM Notícia a cantora confirmou seu interesse de se candidatar este ano com o objetivo de usar a política para ajudar mais pessoas.

Lauriete, Vanilda Bordieri, Mara Lima e Flordelis tentarão vagas nas eleições de 2018

Quem também deve entrar para a política é a cantora Vanilda Bordieri que tentará se eleger como deputada federal. Vanilda pode se sentar em uma cadeira na Câmara ao lado da cantora Lauriete que foi eleita em 2010, não tentou reeleição em 2014 mas deve se candidatar este ano ao lado de seu esposo, o cantor Magno Malta.

E por falar no senador Malta, ele pretende ter um amigo cantor ao seu lado no Senado: André Valadão. O cantor e pastor da Igreja Batista da Lagoinha foi sondado para aceitar o desafio e disputar a eleição como senador por Minas Gerais, porém sua família não apoiou sua participação na política.