Da Redação JM Notícia

A única passarela que permite a travessia pelo rio ficou comprometida pelas cheias

O pastor Francisco Aldejane de Souza, da Assembleia de Deus CIADSETA congregação Rocha Eterna em Miranorte (TO) mostra preocupação com as condições da comunidade ribeirinha de Fazenda Pé do Morro, localizada em volta ao Rio Boi de Porteira, que está sofrendo por conta das enchentes das últimas semanas.

Sem ponte, as famílias daquela região estão sofrendo por não conseguirem cruzar o rio que transbordou por conta das fortes chuvas. Sem esse acesso, as crianças não podem ir às aulas desde que o ano letivo se iniciou.

“Essas famílias estão ilhadas desde começou o período de chuvas, em janeiro, a passarela permitia que as pessoas passassem a pé, mas carros não conseguem passar”, declarou o pastor.

As crianças não têm condições de chegar até a escola

Mas nos últimos dias as chuvas se intensificaram e a passarela se tornou intransitável. Por ter um trabalho missionário naquela comunidade, a igreja envia todas as semanas um missionário para visitar as famílias e ajudá-las.

“A igreja tem ajudado essas famílias no que eles precisarem. Tanto no apoio moral, como também na imediação para conversar com o prefeito e com cestas básicas distribuídas para as famílias mais carentes”, explicou.

VEJA TAMBÉM
Cantora Jhennifer Brito ministra na AD Ciadseta, no bairro Costa Esmeralda

Prefeitura diz que não verba para construção de ponte

O prefeito da cidade está ciente do problema, mas o município não tem verbas para construir uma ponte

Na sexta-feira passada, a igreja conseguiu uma reunião com o prefeito Carlinho da Nacional para explicar a situação daquelas famílias. O Conselho Tutelar foi quem intermediou a reunião, se preocupando com a situação de evasão escolar das crianças da comunidade.

O prefeito declarou que não tem condições de construir uma ponte no lugar da passarela, mas se comprometeu a fornecer uma ajuda para que os pais dos alunos possam levá-los de moto até o ponto onde o ônibus escolar consegue chegar e levá-los para a escola. Nesta semana a prefeitura chegou a mandar uma máquina para liberar um caminho, mas não foi possível realizar o trabalho por conta das chuvas.

Problemas de acesso compromete a saúde dos moradores

O pastor Francisco contou ao JM Notícia que no dia 9 de fevereiro um morador da comunidade sofreu um Acidente Vascular Cerebral (AVC) e a equipe de socorro do SAMU não conseguiu chegar até a sua residência para realizar o atendimento.

Devido a falta de acesso, o senhor Edilson Souza Leitão foi retirado em uma rede por cerca de 2 km. Por conta do AVC ele está com um lado do corpo paralisado.

VEJA TAMBÉM
Em Araguaína, 26 candidatos evangélicos disputam vaga no legislativo, nove são da AD Ciadseta

Idosos sofrem com falta de acesso

A dona Raimunda, 76 anos, gravou um vídeo mostrado a dificuldade que tem de passar pela passarela que está praticamente inundada e a correnteza do rio não permite o equilíbrio.