Da Redação JM Notícia

Sede do PreviPalmas (Foto: Divulgação)

A Prefeitura de Palmas demitiu nesta segunda-feira  (12) o diretor de investimentos do Instituto de Previdência Social do Município (PreviPalmas), Fábio Martins Costa, apontado como responsável por uma aplicação de R$ 30 milhões em um fundo de alto risco que pode gerar prejuízo aos cofres públicos.

Através das redes sociais, o prefeito Carlos Amastha (PSB) disse que pediu à Câmara de Vereadores que abra uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), para investigar se houve crime. O dinheiro foi  investido em um projeto chamado Mauá que fica em Porto Alegre (RS).

A prefeitura de Palmas avaliou o projeto, e mesmo sendo considerado sólido, porém a empresa utilizada para fazer a aplicação, a Icla Trust, tem problemas sendo a mesma que deu um prejuízo de R$ 330 milhões ao Igeprev. A empresa se chamava NSG na época e mudou de nome após o escândalo.

A prefeitura afirma que o dinheiro da previdência dos servidores está seguro e que o PreviPalmas opera com um saldo de R$ 630 milhões. Para acalmar os servidores, a Prefeitura informou que está tomando as medidas para retomar os R$ 30 milhões investidos.

VEJA TAMBÉM
Na tribuna, pastor João Campos lembra Dia da Pessoa com Deficiência

Fábio Martins Costa e a Icla Trust ainda não se pronunciaram sobre o assunto.