Da Redação JM Notícia

Polícia atendem vítimas de tiroteio em igreja de Sutherland Springs, no Texas (Foto: MAX MASSEY/ KSAT 12/via REUTERS)

O pastor da , Texas (Estados Unidos), Frank Pomeroy, está pensando em demolir o prédio da igreja e construir um memorial em homenagem às vítimas do tiroteio que aconteceu em novembro do ano passado.

Em 5 de novembro de 2017, um homem armado invadiu o culto da manhã e disparou contra os presentes. Vinte e seis pessoas morreram, sendo 23 delas dentro da igreja, duas morreram do lado de fora e outra foi durante o transporte até o hospital.

Frank perdeu sua filha mais nova, Annabelle, 14 anos, que estava na igreja no dia do ataque. Apesar da perda, ele e sua esposa, Sherri, permanecem firmes na fé e dão apoio à comunidade.

Teóricos da conspiração tiram a paz das famílias enlutadas

Recentemente dois “teóricos da conspiração” passaram a assediar a família das vítimas, declarando que o massacre não existiu e que as vítimas também nunca existiram.

Jodi Mann e Robert Ussery declaram que o tiroteio que matou 26 pessoas foi encenação do Departamento de Segurança e exigiram que o pastor apresentasse a certidão de nascimento de Annabele. O mesmo aconteceu com outras famílias.

VEJA TAMBÉM
Atirador invade igreja batista e deixa mais de 20 mortos nos Estados Unidos

Os homens foram presos após ameaçar o pastor enquanto fixavam um cartaz condenando a igreja, mas foram soltos dois dias depois. Eles declaram que há pelo menos 33 tragédias nos Estados Unidos que são falsas, como o tiroteio na escola de Sandy Hook, na escolade Parkland, o massacre de Las Vegas e outros.