Da Redação JM Notícia

O pastor Henrique Vieira (PSOL-RJ) participou de um ato interreligiosos em memória da vereadora Marielle Franco, do mesmo partido, que foi assassinada no último dia 14 em um crime que chocou o Brasil e repercutiu no mundo inteiro.

Mas em sua fala, o pastor da Igreja Batista do Caminho, que é ex-vereador de Niterói (RJ), resolveu atacar líderes evangélicos como o pastor Silas Malafaia e o prefeito Marcelo Crivella, que é bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus.

No discurso, ele ainda compara a vereadora morta com Jesus Cristo. “A cruz não foi capaz de silenciar a voz de Jesus e aqueles tiros não vão silenciar a voz de Marielle. Eu quero afirmar, com todo amor e respeito, que os coronéis da fé e vendilhões do templo, Crivella, Malafaia e companhia, matariam Jesus hoje. Eles não controlam esse povo preto e pobre que usam o nome de Jesus para promover o amor e a graça”, esbravejou.

Vieira é pré-candidato a deputado estadual pelo PSOL e tem adotado uma postura agressiva contra líderes evangélicos conservadores, repetindo o projeto político da extrema esquerda que é descaracterizar a ideia de família para fortalecer o Estado.

VEJA TAMBÉM
Igrejas se unem para desfilarem com blocos evangélicos durante o Carnaval no RJ

Henrique Vieira já criou polêmica anteriormente ao afirmar no programa “Encontro com Fátima Bernardes” que a ideia de um Jesus negro “faz mais sentido historicamente”, mas “incomoda” e “causa certo estranhamento”.

O discurso de extrema esquerda que coloca brancos contra negros foi reafirmado pelo ex-vereador no canal Mídia Ninja no Youtube. Na ocasião, Vieira declarou que pintar Jesus como um homem branco é uma forma de “justificar a inferioridade dos escravos africanos e dos indígenas, porque um Jesus negro… que se junta aos oprimidos, seria uma ameaça ao poder”.

Assista a participação do religioso no ato em memória da vereadora Marielle Franco: