Da Redação JM Notícia

Em uma rápida passagem pelo Tocantins, o governador cassado Marcelo Miranda (MDB) cumpriu agenda em Palmas ao lado de secretários e auxiliares no Palácio do Araguaia e promete, através de sua assessoria, concentrar seus trabalhos em “acertar os detalhes necessários” até que a justiça eleitoral o afaste do cargo definitivamente.

Cassado no última quinta-feira (22), Miranda, através de uma nota, agradeceu o apoio de seus eleitores em todos os pleitos que ele se candidatou e declarou que sempre prezou pelo respeito às leis.

“Quem acompanhou minha trajetória política sabe que, em todas as minhas gestões, prezei pelo respeito às leis e aos poderes constituídos. E assim será até o último momento”, destacou.

Marcelo Miranda (MDB) e a vice-governadora Cláudia Lelis (PV) foram cassados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso de poder econômico, abuso de poder político, abuso de autoridade e de captação ou gasto ilícito de recursos financeiros de campanha eleitoral.

A ação se refere ao episódio dos R$ 500 mil e de 4 kg de panfletos de campanha apreendidos em um avião em Piracanjuba (GO), durante o período de eleições em 2014.

VEJA TAMBÉM
PSDB de Porto Nacional declara apoio à candidatura de Vicentinho Alves ao Governo

Assim que a Justiça Eleitoral emitir a notificação, Miranda e Lelis deixarão seus cargos e o presidente da Assembleia Legislativa, o deputado Mauro Carlesse (PHS), assumirá o governo inteirinamente até o resultado da eleição suplementar que deve acontecer em junho.

Defesa do governador irá recorrer

O advogado Thiago Boverio, que representa o governo, informou que vai recorrer da decisão. “Há muitos fatos para esclarecer. O próprio ministro disse que há muitos indícios e isso tudo será esclarecido nos embargos declaratórios. Quanto à execução, o que ficou bem claro é que o ministro tomou para si a possibilidade de decidir sobre isso”, disse ele ao G1.