Da Redação JM Notícia 

Marcelo Miranda, Governadordo estado de Tocantins (Foto: Lia Mara/Governo do Tocantins)

Marcada para esta quinta-feira (12), a análise dos embargos declaratórios que a defesa de Marcelo Miranda (MDB) pediu ao Tribunal Superior Eleitoral foi retirada da pauta.

O TSE não divulgou o motivo da mudança, nem anunciou uma nova data para analisar o pedido da defesa do governador que foi cassado juntamente com a vice-governadora Cláudia Lelis por arrecadação ilegal de recursos.

O processo que gerou a cassação da chapa investiga o uso de caixa 2 na campanha de 2014 e tem relação com o avião apreendido em Goiás com R$ 500 mil além de santinhos da campanha.

A decisão de hoje seria definitiva para manter ou afastar o governo do Estado, Marcelo e Cláudia estão de volta ao Palácio do Araguaia graças à uma liminar assinada pelo ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, que permitiu o retorno deles até o julgamento dos embargos.

O Ministério Público Eleitoral, que representa a acusação do governador, diz que a defesa de Marcelo Miranda quer desqualificar provas nesse pedido de embargos, enquanto que a defesa diz que os embargos são instrumentos legítimos para esclarecer dúvidas.