Da Redação JM Notícia

Biochip é implantado sob a pele da mão esquerda, entre os dedos polegar e indicador

Alguns brasileiros já instalaram uma tecnologia com chip implantado entre o polegar e o indicador que substitui chaves, cartões e senhas, facilitando o dia a dia nas mais diferentes funções.

O biochip funciona como um cartão de memória para armazenar arquivos como cartões de visita e informações de saúde; e funciona também como senhas de acessos para diferentes serviços.

Uma das empresas que comercializa este tipo de serviço no Brasil é a Project Company que declara que os chamados “early adopters”, pessoas que passam o dia inteiro descobrindo coisas e ideias novas, são os mais interessados neste produto.

O executivo-chefe da empresa, Antonio Dianin, já tem seu próprio chip e o usa para compartilhar o cartão de visita. “Eu encosto o implante no smartphone da outras pessoas e aparecem os meus contatos e meus perfis em redes sociais”, explica Dianin ao UOL.

Mas não é só isso que o biochip faz. “Minha casa é totalmente tecnológica e consigo abrir e fechar todas as portas com o biochip, além de dar partida no carro. Não tenho chave para quase mais nada”, diz o executivo.

VEJA TAMBÉM
Chips implantados sob a pele e profetizados pela Bíblia revolucionam

Quem quiser trocar os cartões de débito e crédito pelo biochip deve esperar mais um pouco, pois as empresas ainda não conseguem entregar esta tecnologia aos seus clientes. O analista de segurança da informação Matheus Gomes, 19 anos, chegou a usar o biochip com um código de sua operadora de cartão, mas só funcionou por um mês. “Eles me mandaram o código do meu cartão para eu colocar no biochip. Daí era basicamente só aproximar a mão nas máquinas que tinham leitor NFC e fazer o pagamento sem precisar de senha nem de inserir o cartão”, disse ele.

Como é feito o implante

O implante do biochip é colocando sob a pele da mão esquerda, entre os dedos polegar e indicador. Este local é o mais indicado por ser fácil de utilizar e não ter tantas terminações nervosas.

Não é necessário passar por anestesia, pois a região não é muito sensível e processo de aplicação é rápido com apenas uma picada.

Interssados já podem comprar o biochip no Brasil através de Project Company, mas devem ficar atentos quanto à tramitação de projeto de lei que visa proibir este tipo de tecnologia.

VEJA TAMBÉM
Chip sob a pele faz sucesso nos EUA no segmento empresarial

De autoria do deputado Missionário José Olímpio (PP-SP), o Projeto de Lei 7561/14 visa impedir a implantação de chip identificação em seres humanos, ressalvados os casos em que haja determinação judicial e autorização da própria pessoa ou de seu representante legal.

A proibição abrange qualquer dispositivo eletrônico ou eletromagnético que permita rastreamento via satélite ou GPS, telefonia, rádio ou antenas.

Olímpio admite que o uso desses dispositivos eletrônicos pode ser uma ajuda decisiva na aplicação de políticas de prevenção e de repressão ao crime. Entretanto, defende que a medida facilita o rastreamento dos cidadãos e permite que eles sejam alvo de perseguição ou atentado.

A Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado aprovou a proposta em agosto de 2017 e desde novembro daquele ano a proposta está parada na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania ( CCJC).