Da Redação JM Notícia 

Marisa Lobo é psicóloga, cristã e pré-candidata à deputada federal 

Diante das decisões do Supremo Tribunal Federal que podem atrapalhar a continuação da Operação Lava Jato e a condenação de políticos envolvidos em corrupção, a psicóloga Marisa Lobo se coloca a favor da intervenção militar para a restauração da ordem.

“No meu entendimento intervenção militar não é regime militar e nem ditadura militar. A intervenção acontece quando o país está passando por uma fase totalmente de desconstrução e de corrupção como de fato está acontecendo”, explica ela ao JM Notícia.

Marisa enxerga que o STF tem feito manobras na legislação para ajudar a esquerda política, inclusive decidindo agir contra o juiz Sérgio Moro ao tirar dele as delações sobre o esquema de corrupção envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a Odebrecht nos casos do sítio em Atibaia e o prédio do Instituto Lula.

“Essas manobras são para se proteger, por mais leiga que a pessoa seja entende que é uma manobra para se proteger”, diz a psicóloga ao se referir aos ministros do Supremo.

VEJA TAMBÉM
STF concede habeas corpus a Eduardo Cunha, mas ele permanecerá preso

Com a intervenção, garantida na Constituição, será possível preservar que as eleições deste ano aconteçam, segundo Marisa Lobo. “Uma intervenção no sentido de garantir a democracia, pois estamos em uma ditadura socialista, onde até as universidades foram tomadas por esquerdistas e a corrupção tomou conta de todos os lados”, justifica.

“Nós olhamos para a Câmara Federal e está cheia de corrupção, olhamos para as Assembleias Legislativas e para os vereadores e também têm corrupção. Em todos os segmentos da sociedade, em todos os poderes”.

A instabilidade entre os ministros do STJ é o que leva ela a entender que a intervenção será positiva para garantir a ordem. “Acontece que vemos claramente uma guerra entre eles, uma turma brigando entre si e isso está causando uma insegurança muito grande no país”.

Muito ligada à política, tanto que é pré-candidata à deputada federal, Marisa Lobo teme que o caso de Lula seja retirado do juiz Sérgio Moro para que o ex-presidente seja solto. A intenção seria preservar os juízes corruptos que também se beneficiam com os esquemas de corrupção.

VEJA TAMBÉM
Polícia Civil faz operação para investigar fraude em licitação em Dianópolis

“Nós temos que salvaguardar as leis e isso também é salvaguardar a Lava Jato e no momento a intervenção militar cumpriria isso para garantir que não haja mais essa confusão, essa corrupção”, completou.