Da Redação JM Notícia

Prisão temporária terá duração de 30 dias

O pastor Georgeval Alves Gonçalves, de 36 anos, foi preso pela Polícia Civil neste sábado (28) para que ele não atrapalhe as investigações sobre o incêndio que matou duas crianças no último dia 21, em Linhares, no Espírito Santo.

Gonçalves é pai de Joaquim, de 3 anos, e padrasto de Kauã, de 6. O homem estava sozinho em casa com as duas crianças no dia do incêndio, pois sua esposa, Juliana, estava viajando com o filho mais novo do casal para participar de um congresso em Minas Gerais.

Em depoimento à imprensa, o pastor disse que ouviu os gritos dos garotos e tentou salvá-los, mas não conseguiu entrar no quarto. O incêndio atingiu apenas o quarto onde as vítimas estavam.

A prisão foi determinada em caráter temporário, com prazo para 30 dias, com o objetivo de preservador o bom andamento das investigações. O pastor foi preso em um hotel onde estava hospedado na cidade, pois o imóvel da família está interditado para as investigações.

VEJA TAMBÉM
Reviravolta: pastor desaparecido no PR está sendo investigado por estelionato

Juliana declarou à TV Gazeta que esperava pela prisão do esposo “não por achar que ele tenha culpa, mas pela forma como seguia a linha de investigação da polícia”. Muito abalada, a pastora declarou que não irá comentar mais o caso com a imprensa.

Vídeo do casal recebendo apoio da igreja emociona

Antes da Polícia Civil pedir a prisão do casal, o vídeo mostrando o momento de luto pela perda das crianças emocionou internautas de todo o Brasil. Nele, o pastor fala que Deus irá restaurar seus corações e recebe abraços de consolo dos fiéis da igreja.

Pastores da Igreja Vida e Paz, eles pediram o afastamento do cargo dois dias após a morte das crianças, como confirmou o pastor Abisai Junior.