O secretário de Governo e Relações Institucionais esteve representando a prefeita Cinthia Ribeiro
Fotógrafo: Júnior Suzuki

Palmas passa a sediar duas câmaras de intermediação de negócios com a China e o Panamá. A Capital se torna referência estratégica para empresários brasileiros e destes dois países para intermediação de negócios, conforme anunciado na manhã desta segunda-feira, 21, no Hotel Girassol Plaza, onde associações de produtores, gestores públicos e representantes de frentes comerciais regionais prestigiaram o evento de abertura das referidas câmaras.

Segundo o presidente das Câmaras de Investimentos e Comércio Brasil-China e Brasil-Panamá, Guiliano Vitorino, o objeto de ambas as entidades é servir de plataforma de apoio para empresariado e investidores de ambos os países. “As duas câmaras terão alcance nacional mas têm como principal foco as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. Palmas foi selecionada por ser um local estratégico do ponto de vista logístico, pensando sempre em servir de plataforma para que chineses e panamenhos que tenham interesse em fazer negócios no Brasil possam usufruir de informações e apoio no segmento de inteligência de mercado e para empresários brasileiros envolvidos em relações comerciais de exportação”, disse Vitorino.

Ambas as câmaras oferecerão desde assessoria técnica para empresas que buscam se preparar para iniciar exportações; irão facilitar oportunidades de negócios e investimentos divulgando projetos e produtos e elaborando estudos de viabilidade; vão promover geração de conteúdo; internacionalização de empresas para abertura de mercado; e assessoria jurídica e arbitragem de negócios com os dois países.

VEJA TAMBÉM
Em meio a polêmica, Ministério Público de Contas orienta Cinthia Ribeiro a manter show de humor

O secretário municipal de Governo e Relações Institucionais, Eduardo Mantoan, representou a prefeita Cinthia Ribeiro na ocasião. Mantoan expressou a abertura da Prefeitura de Palmas em oferecer apoio às entidades.  “Palmas é o centro das decisões administrativas, a porta de entrada de nosso Estado e também uma cidade que oferece qualidade de vida para sua população, o que também se torna um ambiente propício aos negócios. Tenham em nós um parceiro estratégico para reforçar não apenas os laços comerciais, mas também de amizade e cooperação mútua pelo bem comum de nossos povos”, frisou Mantoan.

O cônsul geral da China, Xiong Lichun classificou a oportunidade como de grande valia. “Nos últimos anos as relações comerciais entre Brasil e China têm se estreitado, trazido benefícios reais e contribuído para o desenvolvimento mundial. Estamos convencidos de que com esforço todos podem ser beneficiados”, disse.

“Nada mais oportuno do que ter duas câmaras como estas sediadas em uma cidade estratégica, em um estado apoiado em uma ferrovia e um porto [de Itaqui], em que estamos interessados em contribuir com negócios. Com a abertura das câmaras acreditamos que podemos contribuir e assegurar relações importantes e cooperação com seis Aprosojas (Associação dos Produtores de Soja e Milho)”, adiantou o embaixador do Panamá no Brasil, Edwin Emilio Vergara.

VEJA TAMBÉM
Cinthia Ribeiro comenta mudança de nome da creche: "Discussão precisa voltar pra Câmara"

A iniciativa recebeu o apoio de empresários e produtores. “Essas relações de comércio já existem mas o que estamos buscando é melhorar a logística, que é o que eleva em 30% o custo de produção para melhorar a competitividade do produto brasileiro perante outros países. Uma das coisas que podem ser feitas é usar mais esse arco norte para ter acesso ao canal do Panamá e reduzir custos de frete”, disse Maurício Buffon, presidente da Aprosoja do Tocantins. Segundo Buffon, no Tocantins, a produção de soja já alcança a média de 3 milhões de toneladas por ano.

O evento registrou ainda a assinatura de seis termos de cooperação entre as câmaras e as Aprosojas dos estados do Tocantins, Piauí, Maranhão, Bahia, Goiás e Pará. Entre as autoridades presentes também estavam presentes o secretário estadual de Estado do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Turismo e Cultura, Dearley Kühn; o vice-presidente da Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto), Emilson Vieira Santos; o presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Tocantins (Faciet), Fabiano do Vale; o gerente de projetos da Empresa Maranhense de Administração Portuária (Emap), Artur Thiago Costa; entre outras autoridades e produtores da região de grãos, carne e laticínios.