Caminhões começaram a se concentrar no estacionamento Mané Garrincha neste sábado (2)

Uma reunião no Palácio do Planalto para acompanhar o cumprimento do acordo que pôs fim à greve dos caminhoneiros não teve como ignorar as movimentações e rumores que, desde que a paralisação foi encerrada, há três dias, têm ganhado as redes sociais e aplicativos de mensagem como o WhatsApp. Trata-se de vídeos e áudios em que os emissários demonstram e anunciam um novo levante de caminhoneiros insatisfeitos com o acordo, com convocação para ida a Brasília.

Um líder da categoria falou ao Congresso em Foco sobre a possibilidade de nova greve e disse que ainda há grupos insatisfeitos com as condições pós-acordo, que fixou a redução do litro do diesel em R$ 0,46 e garantiu isenção de pedágio para caminhões sem carga, entre diversos outros pontos.

No sábado (02), um grupo de caminhoneiros deu início a uma concentração no estacionamento do Estádio Mané Garrincha, a cerca de três quilômetros do Congresso, e preparam manifestação para esta semana.

Segundo informações de alguns condutores, a ideia é reunir o maior número possível de caminhões nas cercanias da Praça dos Três Poderes, onde ficam Palácio do Planalto, Congresso e Supremo Tribunal Federal. Diversos vídeos de fato feitos neste fim de semana estão publicador em plataformas como Facebook e YouTube.

VEJA TAMBÉM
Deputados aprovam isenção tributária para diesel até o fim do ano

Um dos principais líderes dos caminhoneiros autônomos, Wallace Landim, conhecido como “Chorão”, gravou um vídeo neste domingo para dar seu recado: a categoria quer a redução do preço de todos os combustíveis derivados do petróleo e a rápida aprovação de três medidas provisórias editadas às pressas pelo governo como parte do acordo – a MP 831, que reserva 30% do frete contratado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para cooperativas de transporte autônomo, sindicatos e associações de autônomos; a MP 832/2018, que facilita a contratação de fretes em todo território nacional. e a MP 833/2018, que altera a Lei dos Motoristas para estender às rodovias estaduais, distritais e municipais a dispensa de pedágio pelo eixo suspenso de caminhões.

“Por isso eu vou brigar até o final”, promete Chorão.

Ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), o general Sergio Etchegoyen conduziu a reunião no Planalto na manhã deste domingo (3) e disse que, apesar do “quadro de normalidade”, o governo está atento à suposta nova greve. “Nós estamos acompanhando e verificando qual o tamanho, quais são as consequências dessa eventual, propalada, convocada mobilização para amanhã, mas sem nos preocuparmos no ponto do alarme. Mas, obviamente, há de ser acompanhado. Todas as notícias são acompanhadas, todos os fatos são acompanhados”, declarou.

VEJA TAMBÉM
Rodrigo Maia descarta aumento de impostos para compensar acordo com caminhoneiros

O ministro comentou ainda que a própria imprensa tem veiculado informações sobre o novo levante, mas que o governo não trabalha com “boatos, mentiras, inverdades ou imprecisões”. Com informações Congresso em Foco