Da Redação JM Notícia

Pastor é executado e tem olhos arrancados em Salvador

O pastor Gustavo Gonzaga da Silva, 44 anos, Cabo da Polícia Militar, foi morto na madrugada deste sábado, 9, no fim de Linha do bairro de Santa Cruz, em Salvador. Segundo informações da Polícia Militar, o pastor passava pelo local em um veículo Onix, quando foi cercado por indivíduos da região que efetuaram disparos de arma de fogo. O pastor Gonzaga reagiu, mas foi atingido e não resistiu aos ferimentos.

De acordo com a Polícia Militar, o pastor teria sido morto com requintes de crueldade, tendo a língua, orelhas e mão direita decepados, os olhos e mandíbula arrancados, além de receber vários tiros na cabeça.

Em nota, a corporação lamentou a morte do policial e informou que o cabo PM Gonzaga era lotado na 4ª Cia de Saúde, do Batalhão de Polícia de Guarda da Polícia Militar (BG) e integrava o quadro funcional da PM há mais de 22 anos.

Pastor Gustavo Gonzaga da Silva, era dirigente de uma igreja em Periperi, onde congregava há 17 anos, e não costumava andar armado, de acordo com colegas de religião e de trabalho. Ele tinha uma companheira e deixa duas filhas.  Com informações O Povo 

Suspeito que matou o PM/pastor Gustavo Gonzaga, tomba diante da Rondesp

Um suspeito de participar da morte do cabo PM/Pastor Gustavo Gonzaga da Silva, ocorrida nesta madrugada, no bairro da Santa Cruz, morreu em confronto com equipes das Rondas Especiais (Rondesp) Atlântico, no final da manhã deste sábado (9). Segundo divulgado pela Secretaria de Segurança Pública, o criminoso conhecido pelo apelido de ‘Budigo’ foi encontrado na Rua dos Posseiros, com revólver, munições e drogas.

VEJA TAMBÉM
Bastidores Convencionais por Antônio Bandeira: Adesal X CEADEB

Ainda conforme a pasta, os militares faziam rondas, no Nordeste de Amaralina, quando Budigo correu armado, atirando na direção dos PMs. No confronto ele foi atingido, socorrido para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas não resistiu.

Com o traficante, que segundo informações preliminares, tem passagens pela polícia, foram encontrados um revólver calibre 38, munições e 35 pinos de cocaína. “Seguimos operando no bairro, com reforço de unidades especializadas, em busca de mais integrantes da quadrilha”, declarou o comandante do Policiamento na Região Integrada de Segurança Pública (Risp) Atlântico, coronel Francisco Kerjean.

O coordenador da Força Tarefa que investiga morte de policiais, delegado Odair Carneiro, destacou que segundo testemunhas Budigo teria participado do crime contra o PM. “Estamos no início da investigação. Não descartamos a participação de outros indivíduos”, comentou.