Da Redação JM Notícia

Algumas escolas de Joinville (SC) estão trocando as comemorações do Dia das Mães e Dia dos Pais pelo “Dia da Família” com o objetivo de incluir crianças que não fazem parte de círculos familiares formados por pai e mãe.

Ciente disto, o vereador Jaime Evaristo (PSC) apresentou um projeto de lei que obriga as escolas a comemorarem as duas datas. Diante da polêmica, a Câmara Municipal de Joinville precisou fazer uma audiência pública para debater o assunto.

O parlamentar conta com o apoio de pastores e lideranças conservadoras. Entre eles o Wilson Ponchirolli que deu uma declaração ao site OCP News dizendo que não se pode aceitar a exclusão das datas de Dia das Mães e Dia dos Pais.  “A Bíblia fala sobre o pai e sobre a mãe, então nunca vamos aceitar essa exclusão”, afirmou.

O pastor Esdras Fernando Carvalho destacou que essa ideia de acabar com as datas comemorativas para mães e pais não partiu das crianças. “De quem partiu? Das crianças tenho certeza que não foi. Pais e mães também não declinaram de suas comemorações”, disse ele ciente que se trata de ações promovidas por grupos progressistas.

VEJA TAMBÉM
Pastora lança campanha em defesa do "bela, recatada e do lar"

Representando a Igreja Católica, o coordenador da Pastoral Familiar, Luiz Stolf, afirmou que se deve dar a possibilidade de as crianças comemorarem as datas. “Somos favoráveis ao projeto, pensamos que a maioria não deve ser desrespeitada em favor da minoria”.

Contrário à lei está, por exemplo, a advogada do CDH (Centro de Direitos Humanos) de Joinville,  Cynthia Maria Pinto da Luz, que entende que a família tradicional formada por pai e mãe não faz mais parte da realidade atual.

“Esta asservação deste culto à família tradicional, do jeito que ela foi concebida há séculos, não contempla mais nossa realidade. Nós temos hoje muitos formatos e configurações familiares distintas e a escola precisa trabalhar a inclusão”, disse.

Ela entende que o Dia da Família é muito mais abrangente e que o projeto do vereador evangélico “é uma forma de excluir outros tipos importante de configurações familiares formadas por avós e netos, tias e sobrinhos, dois pais, duas mães, mãe e filho, pai e filho, e pai e mãe e filho”.

Autor do projeto explica seus motivos

VEJA TAMBÉM
Denúncia ao MPE poderá evitar que escola Rural feche as portas

O vereador Jaime Evaristo disse que foi procurado por alguns pais que estavam inconformados com o dia das comemorações dos dias de pais e mães.  “Fiquei preocupado com isso, pois a imagem do pai e da mãe é consagrada, e já é uma cultura das escolas essas comemorações, as crianças já esperam por elas. A integração entre escola e família é importante”, afirmou.

O parlamentar não é contra o Dia da Família, mas declara que o Dia das Mães e o Dia dos Pais não devem sair do calendário escolar. “Não temos nada contra comemorar também essa data, mas queremos preservar a comemoração de dia dos pais e das mães; não podemos apagar de uma criança a imagem do pai e da mãe”, afirmou.