Da Redação – Ricardo Costa

Líderes da CEADB e ADESAL reunidos nesta terça-feira (20), em Salvador – Foto: Reprodução

A partir desta terça-feira (20), a Assembleia  de Deus de Salvador (ADESAL), na Bahia, vive um novo tempo de paz, harmonia e comunhão entre os líderes evangélicos,  e membros da instituição que superam os 80 mil na Capital e cerca de 500 templos espalhados na cidade.

Reuniram-se nesta terça-feira (20) no Centro de Cultura Evangélica da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), a liderança da ADESAL, representada pelo pastor Juarez Machado, presidente interino da igreja Assembléia de Deus em Salvador e o pastor Valdomiro Pereira, presidente da CEADEB. A pauta principal da reunião foi o restabelecimento da unidade entre os pastores e membros das duas instituições, ou seja, ADESAL e CEADEB.

Segundo informações obtidas pelo JM Notícia com exclusividade, a reunião transcorreu em um clima de muita harmonia, entendimento e paz entre as lideranças, e foi unânime de que os envolvidos deveriam retornar a comunhão como era em 2010, ou seja, a ADESAL voltará a ser filiada à CEADEB, indicará o novo presidente que passará pelo crivo dos convencionais e os ministros que estão filiados na Convenção CONFRAMADEB deverão se filiar nos próximos dias à CEADEB.

Participaram também da reunião na CEADEB, o pastor Ricardo Pereira Góis, Primeiro secretário da ADESAL, e assessor jurídico da ADESAL,  o primeiro tesoureiro da ADESAL, o Pastor Roberto Menezes, o segundo secretário da ADESAL, Domingos Cândido, segundo tesoureiro Francisco Feitosa.

VEJA TAMBÉM
Convenção Baiana instala trabalho missionário no Tocantins

CONFRATERNIZAÇÃO

Durante a reunião entre as duas lideranças, estava sendo realizada, outra reunião, no mesmo prédio, na qual estavam presentes um grande número de pastores setoriais da ADESAL  se confraternizando com líderes da CEADEB, visando a integração dos setores da ADESAL.

JUBILAÇÃO

Segundo apurado pelo JM Notícia um acordo judicial deve jubilar o pastor Israel Alves Ferreira, recentemente afastado do cargo pelo Judiciário, em razão de já não preencher os requisitos estatutários para presidir a ADESAL.

CGADB 

Esse entendimento entre a ADESAL e CEADEB foi possível após a orientação dada pelo pastor José Wellington da Costa Júnior, presidente da CGADB e o pastor José Wellington Bezerra da Costa ao pastor Israel Alves Ferreira, para que ele buscasse traçar caminhos de paz e unidade entre as duas instituições.  Na ocasião,  o pastor Ricardo Pereira Góis, Primeiro secretário da ADESAL, e assessor jurídico da ADESAL também participou da reunião na sede da CGADB. A reunião foi nesta segunda-feira (19).

ENTENDA

Após a ADESAL por meio do pastor Israel Alves Ferreira se desfiliar da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB) em 2010, a instituição viveu tempos difíceis nos tribunais e consequentemente, a perda de muitos membros que não concordam com o que estava acontecendo.

Em novembro de 2017, o Tribunal de Justiça da 5ª Câmara Civil do Estado da Bahia, por unanimidade, destituiu o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima dos cargos de presidente e vice-presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL), por entender que de acordo com o estatuto, para presidir a instituição, tem que necessariamente ser filiado à CEADEB.

VEJA TAMBÉM
Convenção CEADEB elege Mesa Diretora em dezembro; confira os candidatos

Art. 6º – A Igreja será administrada por uma Diretoria composta de 07 (sete), membros que ficará assim constituída: Presidente (que é o pastor Igreja, indicado pela CEADEB e apreciado pelo ministério local.

Art. 54 – A CEADEB indicará um dos seus ministros à presidência da ADESAL, cuja indicação será apreciada pelo Conselho Ministerial.

Art. 78 –Quando a eleição for para preenchimento do cargo de presidente da ADESAL, somente poderá concorrer o membro que exercer o ministério de pastor, devidamente registro nas CGADB e CEADEB…

Após analisar os autos, o Tribunal de Justiça da Bahia, reconheceu que o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima, quando deliberam a saída da CEADEB não preenchiam mais os requisitos para ocuparem o cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, ou seja, os seus atos eram nulos de pleno direito.

Em sua decisão, a desembargadora Ilona Márcia Reis, relatora, declarou a perda automática do cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, e determinou que a CEADEB, possa indicar o novo presidente da ADESAL, condicionando à aprovação pelo ministério local, conforme o estatuto.