Da Redação JM Notícia

Estava marcado para a noite desta quinta-feira (21) o último debate da eleição suplementar onde os candidatos Mauro Carlesse (PHS) e Vicentinho Alves (PR) discutiriam suas propostas para o Estado pelos próximos seis meses, tempo do mandato tampão.

Porém, Carlesse não compareceu na sede da TV Anhanguera e o candidato Vicentinho foi entrevistado por Fábio Castro por cerca de 20 minutos, onde ele pode falar sobre saúde, segurança, contas públicas e ainda questionar alguns assuntos envolvendo a vida pessoal de seu opositor.

Entre as propostas apresentadas, Vicentinho defendeu o fim da terceirização do Detran, Para ele, é um absurdo que o Estado faça a pessoa pagar taxas altíssimas para que as pessoas possam recuperar seus carros. “Uma trabalhadora, com um carro de pouco mais de R$ 20 mil, tem que pagar R$ 7 mil de taxa para essa Free Way? Eu vou acabar com isso”, prometeu.

Ao comentar sobre segurança pública, Vicentinho prometeu aumentar os investimentos na área. “Sem dinheiro, não tem segurança. Nós vamos nos adequar a política nacional e trazer esses recursos”, declarou o candidato que lembrou que em 35 cidades tocantinenses não há nenhum policial militar.

VEJA TAMBÉM
Carlesse conclui visitas a cidades do Bico nesta quinta-feira

Vicentinho afirmou que irá acelerar a retomada do concurso da PM, suspenso por decisão judicial, ressaltando que, antes, fará uma análise minuciosa do concurso para detectar a origem e as causas das possíveis fraudes que levaram a sua suspensão.

Outro grande problema do Estado são as contas públicas, e sobre esse assunto o senador não poupou crítica aos seus pares políticos dizendo que a primeira obra a ser feita é a obra moral para acabar com a crença de que só tem bandidos na política do Tocantins. Ele citou que gastos em alugueis de aviões, diárias, consultorias e outros serão cortados imediatamente, gerando economia de mais de R$ 500 milhões. “Tenho responsabilidade e consciência que vou pegar o Estado na mais profunda crise”, disse.

Carlesse adiantou nas redes sociais que não iria ao debate

Horas antes do debate o candidato Mauro Carlesse postou em suas redes sociais que prefere conversar com a população na rua do que “debater com quem não tem proposta”.
“Meu adversário usa seu espaço na TV e nas redes sociais para me atacar pois não tem trabalho prestado para mostrar. Eu não debato com quem não tem projeto e nunca teve em 30 anos de vida pública. Meu debate é com o povo, nos comícios, reuniões, caminhadas e aqui nas redes sociais”, diz o governador interino em seu Facebook.

VEJA TAMBÉM
"A abstenção não é a melhor política de escolha", diz Villas Boas

Carlesse esteve no Jardim Aureny III, em Palmas, com quase 5.000 pessoas no que ele chamou de “Comício da Vitória”. “Sou cada dia mais grato por ter tantos tocantinenses ao meu lado, em uma campanha limpa, do bem e com ações e proposta que tem um único objetivo: Fazer mais pelo Tocantins”.

➡️ Meu adversário usa seu espaço na TV e nas redes sociais para me atacar pois não tem trabalho prestado para mostrar. Eu não debato com quem não tem projeto e nunca teve em 30 anos de vida pública.Meu debate é com o povo, nos comícios, reuniões, caminhadas e aqui nas redes sociais.#Carlesse31

Publicado por Mauro Carlesse em Quinta-feira, 21 de junho de 2018