Da Redação JM Notícia

Pastor Israel Alves renuncia à presidência da Conframadeb e Josué Brandão assume – Foto: Reprodução

O pastor Israel Alves Ferreira renunciou à presidência da Convenção Fraternal das Assembleias de Deus na Bahia (CONFRAMADEB), durante a 12ª Assembleia Geral Ordinária,  que aconteceu no último final de semana no templo da Assembleia de Deus – Liberdade – em Salvador.  A informação foi confirmada pelo próprio pastor Israel Alves por telefone ao JM Notícia na manhã desta segunda-feira (02).

Pastor Israel Alves retornou aos quadros da Convenção CEADEB e vai assumir à presidência do campo de Ilhéus por indicação da CEADEB.

NOVO PRESIDENTE

Quem assumiu o comando da CONFRAMADEB, foi o pastor Josué Brandão, que era o 1º vice-presidente da entidade. Na ocasião, ao assumir à presidência, Brandão tranquilizou os convencionais, e enfatizou que a instituição não será dissolvida.

Segundo informação que consta no site oficial da CONFRAMADEB, são filiados a Convenção no momento, 6.245 pastores e um total de 3.450 igrejas.

Conscientização

“Esse não é o momento de nos perguntarmos sobre o que a Conframadeb pode fazer por nós. Esse é o momento de nos conscientizarmos do que nós podemos fazer pela Conframadeb, para que ela se fortaleça enquanto convenção, organização, instituição, e nós vamos colher os frutos dessa consciência à medida que somarmos força, pensarmos juntos, nos alinharmos, entendendo que o projeto não é meu, nem é seu, em particular é de Deus e ele conta conosco para que esse projeto avance e o seu nome seja engrandecido”, disse pastor Josué Brandão na oportunidade.

VEJA TAMBÉM
AD Nação Madureira realiza transferências de obreiros, confira relação

Reconciliação

No último dia 28 de junho, o pastor Israel Alves Ferreira, ex-presidente da ADESAL em Salvador, fez um acordo com a Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), de realizar uma transição pacífica entre a ADESAL e a CEADEB, receberia a jubilação pela ADESAL e em seguida seria conduzido para Ilhéus, onde deve assumir o campo, pondo fim aos embates judiciais que se arrastavam desde de 2010 pelo comando da ADESAL.

COMPARTILHAR