Da Redação JM Notícia

A Nota Fiscal Eletrônica do Consumidor NFC-e já estava anunciada como uma das grandes mudanças para as empresas no ano de 2018. Em junho deste ano, o governo do Tocantins publicou a obrigatoriedade para NFC-e em substituição ao PAF/ECF. Com esta mudança, muitas empresas ficam pendentes de regularização por falta de solução tecnológica que auxilie esses processos cada vez mais complexos. Por isso, a automação comercial tem sido a solução para as mudanças fiscais das empresas.

Segundo o diretor da Rensoftware, empresa de software de gestão empresarial de Araguaína, Renye Costa, a NFC-e terá a mesma validade jurídica dos cupons emitidos pelo Equipamento Emissor de Cupom Fiscal (ECF), mas a principal vantagem é que será no formato digital.

“Isso vai possibilitar o acesso ao documento por meio do QR Code, um código que permite acessar o documento por dispositivos móveis, como smartphones, tablets e notebooks em tempo real”, explica Renye.

Ainda segundo diretor, tudo converge para a mudança de postura do empresário. “Será cada vez mais exigido do empresário uma rotina de gestão fiscal que processos manuais não dão conta de acompanhar. Essa é uma máxima que vem se confirmando desde a implementação da Nota Fiscal Eletrônica”, afirma o diretor da Rensoftware.

VEJA TAMBÉM
WanderleI Barbosa apresenta propostas para empresários de Araguaína

Vantagens da NFC-e para o empresários e consumidores

Para o empresário, as vantagens giram em torno da economia e burocracia: antigamente, todas as impressoras emissoras de cupom fiscal precisavam ser autorizadas pelo FISCO. Além disso, o custo dos equipamentos também era alto. Com a NFC-e, a empresa pode imprimir de qualquer máquina, reduzir o desperdício de papéis e ter maior controle das notas geradas e enviadas à SEFAZ.

Já para o consumidor, o principal benefício é o acesso ao documento via celular e a impressão dele em qualquer lugar, além da redução da quantidade de cupons fiscais sem validade de nota fiscal.

“Inclusive, dentro da automação comercial, oferecemos aos nossos clientes a menor NFC-e do mercado, o que configura em ainda mais economia para os empresários”, completa Renye.

Obrigatoriedade no Tocantins

O texto publicado no diário oficial dia 20 de junho determina que empresas em início de atividade já devem estar em conformidade com a legislação a partir do dia 1º de julho e que, para as demais situações (empresas já estabelecidas de todas as naturezas tributárias – Simples Nacional, Lucro Presumido e Lucro Real) , o prazo tem dilatação maior), até 2019, ficando isento da exigência apenas Microempreendedores Individuais, MEIs.

VEJA TAMBÉM
Milhares de pessoas seguem Carlesse em caminhada pela Avenida JK em Palmas

Empresa ensina empresários sobre Nota Fiscal
A Rensoftware oferece aos empresários um E-Book sobre o funcionamento da NFC-e: http://vendas.rensoftware.com.br/ebook-nfce