Da Redação JM Notícia

Gestores da Semed e auditores federais do TCU na Escola Marcos Freire, no assentamento São João (Foto: Walquerley Ribeiro/Divulgação)

Técnicos do Tribunal de Contas da União estiveram em Palmas na última terça-feira (3) para conhecerem modelos de gestão e boas práticas implantados na rede municipal de ensino.

O secretário municipal da Educação de Palmas, Danilo Melo, e técnicos administrativos da Semed apresentaram as teorias administrativas e projetos pedagógicos inovadores, no auditório do TCU, e fizeram uma visita as ETI Caroline Campelo, no Setor Santa Fé, a ETI Marcos Freire, no assentamento São João e Estevão Castro, no Aureny III.

De acordo com o secretário de Controle Externo do TCU (Secex-TO), Edilson Guedes, a ideia é verificar a efetividade das políticas públicas em educação, qualidade do ensino e como é feita a aplicação dos recursos. “Nesse contexto estamos visitando as escolas para obter elementos de boa governança e de boa aplicação na gestão dos recursos, para que esses exemplos de excelência, que inclusive já observamos aqui nas escolas do município de Palmas, possam ser replicadas por outras unidades educacionais do País ou por outros gestores”, disse. Ainda segundo o auditor federal, se foi possível fazer aqui em Palmas com um cenário de escassez de recursos será possível fazer em outros municípios. “Queremos descobrir o que pode ser feito em outros municípios baseado no que foi feito de bom aqui”, completou.

Já a auditora federal de controle externo do TCU, Antônia Maria da Silva, explica que foi criado um grupo de estudos sobre fatores de qualidade da educação básica do TCU e, com isso, deve ser lançado um guia referencial de boas práticas para gestores públicos. “Nós vamos listar uma série de fatores que são necessários para que os municípios e os estados consigam promover uma educação básica de qualidade. Como a rede de ensino de Palmas vem ao longo dos anos apresentando excelentes indicadores, por meio do Ideb ou de outros indicadores educacionais, decidimos conhecer de perto o sistema educacional que se tornou referência para o Brasil”, justificou.

Segundo o auditor federal do TCU, Fábio Morais Reis, em sua profissão é comum aparecer tragédias patrocinadas com o dinheiro público. Ele confessou ainda que, em Palmas, viu uma exceção e o oposto da maioria apresentada no ofício da sua atividade pelo TCU. É preciso que o cidadão, os gestores públicos, os contribuintes e os eleitores que sustentam esse País entendam que em nossa atividade o comum é você ver o desvio a malversação, a coisa superfaturada. Sou morador de Palmas e externamente sempre tive a visão que os empreendimentos escolares são de muito bom padrão, e agora, visitando de maneira muito mais detalhada eu vejo que é uma regra rara na administração pública. A gestão da Educação de Palmas está de parabéns”, frisou.

O grupo de estudo sobre fatores de qualidade da educação básica promovido pelo TCU, em parceria com o movimento Todos pela Educação, deve lançar o guia referencial de boas práticas para gestores públicos no mês de março de 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here