Da Redação JM Notícia

Após intermediar o fim do conflito entre ADESAL e CEADEB, pastor Wellington Júnior vai à Bahia

O presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB), pastor pastor Wellington Júnior, esteve no início desta semana no Estado da Bahia, respectivamente no município de Camaçari, participando do culto em Ação de Graças do aniversário do pastor Valdomiro Pereira da Silva, presidente da CEADEB – Convenção Estadual das Assembleias de Deus no Estado da Bahia.

Pastor Wellington Júnior foi um dos responsáveis por colocar fim a um imbróglio jurídico que prejudicou sobremaneira a obra de Deus no Estado da Bahia. Foram cerca de 08 anos de embates judiciais travados nos tribunais, e em consequência, a perda de centenas ou milhares de membros que migraram para outras denominações; outros deixaram de frequentar as igrejas em detrimento do escandá-lo.

No Rio de Janeiro, o pastor Israel Alves foi se aconselhar com o pastor José Wellington Bezerra da Costa e o pastor pastor Wellington Júnior, após a decisão judicial que cancelou a alteração do estatuto e como resposta, ele ouviu que deveria retornar ao quadro anterior de 2010.

VEJA TAMBÉM
“Evangélicos precisam votar em evangélicos”, diz pastor assembleiano

Histórico

Em 2010 o pastor Israel Alves Ferreira se desfiliou da Convenção Estadual das Assembleias de Deus na Bahia (CEADEB), Convenção esta que lhe empossou na presidência da ADESAL, alterou o estatuto da entidade e criou uma nova convenção chamada CONFRAMADEB, levando consigo boa parte das igrejas, que eram antes filiadas à CEADEB.

Após vários recursos nos tribunais, em novembro de 2017, o Tribunal de Justiça da 5ª Câmara Civil do Estado da Bahia, por unanimidade, destituiu o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima dos cargos de presidente e vice-presidente da Assembleia de Deus de Salvador (ADESAL), por entender que de acordo com o estatuto, para presidir a instituição, tem que necessariamente ser filiado à CEADEB:

 Art. 6º – A Igreja será administrada por uma Diretoria composta de 07 (sete), membros que ficará assim constituída: Presidente (que é o pastor Igreja, indicado pela CEADEB e apreciado pelo ministério local.

Art. 54 – A CEADEB indicará um dos seus ministros à presidência da ADESAL, cuja indicação será apreciada pelo Conselho Ministerial.

Art. 78 –Quando a eleição for para preenchimento do cargo de presidente da ADESAL, somente poderá concorrer o membro que exercer o ministério de pastor, devidamente registro nas CGADB e CEADEB…

Após analisar os autos, o Tribunal de Justiça da Bahia, reconheceu que o pastor Israel Alves Ferreira e o pastor José Pereira Lima, quando deliberam a saída da CEADEB não preenchiam mais os requisitos para ocuparem o cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, ou seja, os seus atos eram nulos de pleno direito.

Em sua decisão, a desembargadora Ilona Márcia Reis, relatora, declarou a perda automática do cargo de presidente e vice-presidente da ADESAL, e determinou que a CEADEB, possa indicar o novo presidente da ADESAL, condicionando à aprovação pelo ministério local, conforme o estatuto.