Da Redação JM Notícia

Casais evangélicos são maioria entre o público religioso que consome sex shop (Foto: Pixabay)

Segundo a Associação Brasileira de Empresas do Mercado Erótico (ABEME), 28,1% dos eventos brasileiros consomem produtos eróticos. O número é significativo e mostra um grande crescimento do mercado com este público. Em 2015, apenas 7% dos evangélicos utilizavam estes produtos.

A ABEME e a Intt Cosméticos criaram o “Guia Gospel para Sex Shops”, uma obra assinada por Paula Aguiar, João Ribeiro, Lídia Ribeiro, Thelma Regina e Leila Emília.

O livro, lançado em 2015, ensina os vendedores a trabalharem com o público evangélico, respeitando as crenças pessoais no que se refere à sexualidade. Entre os autores desse guia de vendas está o casal João e Lídia Ribeiro que são membros de uma igreja muito conservadora ao mesmo tempo que são empresários de um grande sex shop na Grande São Paulo.

O público evangélico também inspirou a Intt Cosméticos a criar uma linha exclusiva de produtos sensuais como gel comestível e óleo de massagem. Com embalagens discretas e nomes diferenciados, os produtos foram pensados em atrair casais religiosos.

VEJA TAMBÉM
STF julgará o processo de excomunhão do Padre Beto, defensor do casamento gay

Na pesquisa da ABEME, os evangélicos se destacam com mais de 11% na média dos consumidores de outras religiões que representam 17% dos clientes desse setor.