Da Redação JM Notícia

Marina Silva (Rede Sustentabilidade ) Foto: Marcos Michael 25/09/2014

Pastores de igrejas históricas que se distanciam das pautas defendidas pela bancada evangélica do Congresso estiveram reunidos com a pré-candidata Marina Silva (Rede) em São Paulo, na última sexta-feira (13), onde a ex-senadora pode reafirmar a sua defesa pelo Estado laico.

Entre os presentes estavam representantes de igrejas como presbiterianos, batistas e luteranos, que já a apoiaram em eleições anteriores. O encontro aconteceu na Primeira Igreja Presbiteriana Independente de São Paulo.

Em seu discurso, Marina declarou que se sente feliz por receber o voto de pessoas de diferentes religiões. “Tenho a felicidade de ter o voto de evangélico, voto de católico, voto de espírita, voto de quem crê e voto de quem não crê. Porque eu me dirijo aos cidadãos brasileiros e respeitando a fé de cada um e, sobretudo, não negando também minha identidade”.

Entre as falas da pré-candidata que mais recebeu aplausos dos pastores está o discurso não armamentista de Marina. Além disso, ela também se colocou a favor do fim do foro privilegiado e do voto distrital misto, mandato presidencial de cinco anos sem reeleição, entre outras propostas.

VEJA TAMBÉM
Carlesse recebe Derval e César Halum em agenda politica cheia nesta terça

O pastor Ed René Kivitz, líder da Igreja Batista de Água Branca e conselheiro de Marina, declarou que a ex-senadora é a melhor alternativa contra a polarização entre o pré-candidato Jair Bolsonaro (PSL) e os partidos de esquerda. “Ela é uma trégua para um país dividido”, disse Kivitz.