Da Redação JM Notícia

Vereador Filipe Fernandes (PSDC) – Foto: Ricardo Costa

O vereador Filipe Fernandes afirmou na manhã desta segunda-feira (30) ao JM Notícia que a Nacional da Democracia Cristã, (antigo PSDC) determinou que a legenda caminhe com Amastha (PSB), na eleição de outubro. Cotado para assumir à presidência no Estado, Fernandes avisou que não aceita a imposição da Nacional e que vai recorrer até as últimas instâncias:

“Não há como se alinhar ao Amastha, ele representa a velha política travestido de novo, é um grande mal para o Tocantins, por isso, iremos recorrer para que essa aliança não aconteça”, disse o vereador.

Contas rejeitadas

Filipe Fernandes ressaltou que o partido vive um grande dilema nos últimos meses. A legenda teve as contas rejeitadas em 2016, e o partido está com as contas suspensas sem poder realizar qualquer movimentação: “Na eleição suplementar, o Gilvan Lino e o Max tentaram levar o partido para a Kátia Abreu (PDT), no entanto, não conseguiram, pois o partido está suspenso no Tocantins, o que pode acontecer também para as eleições de outubro.

VEJA TAMBÉM
Reunião articulada por Kátia Abreu atrai representantes de 13 partidos

Sem candidatos

Fernandes se mostrou preocupado quanto ao futuro do partido quanto aos candidatos que pretendem disputar uma vaga na Assembleia e na Câmara dos Deputados:

“Temos um quadro forte para a eleição de outubro, com possibilidades de eleger até dois deputados estaduais, entretanto, vejo com muita preocupação a situação da Democracia Cristã, que pode ficar sem poder lançar candidatos”, lamentou o parlamentar que avisou que corre contra o tempo para solucionar essa questão.