Da Redação JM Notícia

Durante a primeira sessão plenária do segundo semestre desse ano, realizada nessa terça-feira, 07, o vereador Lúcio Campelo (PR) trouxe a situação de descaso em que vivem os moradores da Capital, que estão enfrentando transtornos na Avenida Tocantins, a perseguição feita pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Emprego a empresas com mais de 20 anos de atuação em Palmas e por fim abandono do antigo centro comercial Rodoshopping.

Começando pela Avenida Tocantins, o problema surgiu com a implantação do Shopping a Céu Aberto, em Taquaralto. O projeto foi apresentado em 2016, com as obras sendo iniciadas um ano depois, e desde então o caso tornou-se um “pesadelo aos moradores e comerciantes” que moram e trabalham no entorno, conforme destacou o vereador.

“A Avenida Tocantins representa um dos maiores comércios de nossa cidade, e estou aqui falando em nome desses empresários e moradores, trata-se de um problema que atinge a todos nós. Essas pessoas estão cobrando um posicionamento da prefeita Cinthia Ribeiro, e com toda razão, o projeto já foi suspenso, o que foi construído prejudicou o local, e agora ficará como está?”, questionou Lúcio Campelo.

VEJA TAMBÉM
Vereador Léo Barbosa pode assumir presidência da Câmara de Palmas

Perseguição

Em seguida, Lúcio Campelo relatou a perseguição que empresas de fabricação de cerâmicas e telhas estão sofrendo por parte da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Emprego. Segundo o vereador, o atual secretário, kariello Coelho, está criando empecilhos para não emitir as licenças e alvará necessários a essas empresas para operação.

‘’Eu imagino que a prefeita não esteja a par dessa situação, pois jamais iria permitir que empresas com mais de 20 anos atuando em Palmas tenham inclusive seu patrimônio confiscado, como está ocorrendo agora, através de portarias assinadas pelo secretário Kariello”, comentou o vereador.

Rodoshopping

Outro descaso encontra-se no antigo centro comercial Rodoshopping, localizado próximo a rodoviária da Capital. Para o vereador, o local deveria oferecer estruturas melhores para aqueles pequenos comerciantes.

“Os clientes não vão naquele local, com o crescimento de Palmas, tem pessoas que nem sabem da existência do Rodoshopping, isso é um absurdo, pois deveria ser um local para receber a comunidade baixa renda da cidade, dando oportunidade de negócios para o cidadão”.

VEJA TAMBÉM
Lúcio Campelo cobra investimentos da Prefeitura nas regiões Norte e Sul de Palmas

Ao final, Campelo pediu mais atenção por parte da prefeitura de Palmas no trato com os empresários e comerciantes. “Eles pagam impostos, empregam pessoas e merecem

mais respeito e devidos cuidados, e caso isso não ocorra, iremos acionar o Ministério Público Estadual para intervir a favor de quem mais precisa”, finalizou Lúcio Campelo.