FHC acredita que para derrotar Bolsonaro teria que se aliar com o PT e isso não está descartado. Foto: Reprodução/Internet

Jair Bolsonaro (PSL) está na frente nas pesquisas eleitorais e isso preocupa os pólos partidários que têm dominado o páis nos últimos anos. O líder de um desses, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, 87, disse em entrevista ao repórter Matheus Meirelles da Jovem Pan que nunca fechou portas para nenhum tipo de relacionamento com partidos e que um apoio mútuo entre PSDB e PT pode ocorrer caso Bolsonaro passe para segundo turno. “Espero que o PSDB vá para o segundo turno e acho que o PT espera a mesma coisa, mas dependendo das circunstâncias, eu não teria nenhuma objeção a isso”.

Fernando Henrique disse também que a polarização entre os dois partidos é um caso antigo, mas que não a vê com bons olhos: “Eu acho bom mesmo é ter mais abertura, discutir, variar. Democracia é assim, eu não sou favorável a um estado de beligerância permanente”.

Sobre o registro da candidatura do ex-presidente Lula, Fernando Henrique foi enfático ao dizer que ele está inelegível pela lei e que o PT sabe disso, ele lembrou também que a lei da Ficha Limpa, “feita no governo Lula”, diz claramente que todo condenado em segunda instância não pode se eleger.