Da Redação JM Notícia

Procuradora-geral da República, Raquel Dodge

A procuradora-geral eleitoral, Raquel Dodge, contestou no Tribunal Superior Eleitoral a candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República, que está preso condenado por corrupção.

A decisão foi protocolada logo após o Partido dos Trabalhadores confirmar o registro de candidatura do ex-presidente. O TSE tem até 17 de setembro para confirmar ou rejeitar todos os registros apresentados nesta semana.

O ministro Luís Roberto Barroso, relator do caso, deve agilizar a análise do pedido no plenário do TSE, pois acredita-se que a questão é institucionalmente relevante e deve ser submetida à análise do órgão.

Dodge apresentou no documentou a certidão expedida pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) que condenou Lula a 12 anos e um mês de prisão pelo crime de corrupção passiva.

Por conta dessa decisão em segunda instância, Lula estaria automaticamente impedido de disputar qualquer cargo político com base na Lei da Ficha Limpa, ou seja, ele é inelegível como destaca a procuradora-geral no documento.