Assim como outros sobreviventes, eles foram ajudados pelas Portas Abertas, através do apoio de nossos parceiros

No norte de Camarões, a cidade de Roum é um enclave cristão em uma área predominantemente muçulmana. Em fevereiro, um ataque do Boko Haram causou um desastre na região, levando milhares de pessoas a fugir de suas casas. Amós e Esther são um casal de mais de 60 anos de idade. Eles contam que estavam sentados em frente à sua cabana quando ouviram um barulho e então viram as chamas de fogo, que já consumiam o depósito. Então, decidiram se esconder.

“Peguei minha esposa pela mão e corremos para o complexo, onde nos escondemos no ponto mais longe que podíamos alcançar. O fogo não havia chegado lá dentro ainda, então esperávamos que eles não continuassem incendiando tudo”, relembra Amós. Mas eles puseram fogo no complexo também e foram averiguar se nada estava sendo poupado. “Eles foram exatamente para os fundos, onde estávamos nos escondendo. Gritavam e olhavam para ver se havia alguém lá dentro. Mas olharam só de um lado, não olharam no lado onde estávamos. Foi Deus que nos salvou. Graças a Deus, eles não nos viram”, compartilha o cristão.

VEJA TAMBÉM
Boko Haram invade escola e sequestra meninas, mais de 110 permanecem desaparecidas

Amos e Esther ficaram no esconderijo por várias horas e quando saíram viram que todo o vilarejo estava destruído. Do outro lado da rua da casa deles é a igreja, que também foi queimada pelos rebeldes. “O fogo devorou tudo, até os arquivos da igreja, o telhado, as paredes; nós perdemos tudo”, conta um líder da igreja local.

Segundo dados recentes, cerca de 237 mil pessoas como Amos e Esther já foram deslocados por ataques do Boko Haram no norte de Camarões. Entre 2017 e janeiro de 2018, pelo menos quatro igrejas e dois lugares de adoração foram queimados pelo Boko Haram na região.

Com informações Portas Abertas