Da Redação JM Notícia 

O pastor João Campos, ex-vereador de Palmas, repudiou a decisão do ministro Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) de suspender o artigo da lei municipal que impedia o ensino da ideologia de gênero nas escolas.

Em 2016, quando o projeto foi aprovado, Campos era vereador e foi relator do projeto de lei aprovado na Câmara é sancionado pelo então prefeito Carlos Amastha.

“Manifesto meu repúdio à essa liminar. Por conta do nosso posicionamento naquela época e de todo o esforço que tivemos para aprovar a matéria”, declarou o pastor que hoje é suplente de deputado federal.

João Campos lembra que os católicos e evangélicos tiveram uma participação muito grande apoiando o projeto que faz parte do Plano Municipal de Educação.

O artigo primeiro da Lei Municipal nº 2.243/2016 vai ao encontro dos anseios da grande maioria dos pais que não querem que seus filhos aprendam que não nasceram com sexo definido e a Câmara de Palmas conseguiu, através do projeto aprovado, expressar essa vontade.

No Diário da Justiça desta segunda-feira (27) foi publicado a decisão do ministro Luís Roberto Barroso suspendendo a lei e declarando que ela é inconstitucional e reforça os estigmas que promovem a violência contra a comunidade LGBT.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here