Da Redação JM Notícia 

Marcela Taís relatou que foi vítima de abuso sexual

A cantora Marcela Taís escreveu em suas redes sociais um relato sobre como um abuso sexual sofrido na infância a fez sofrer, chegando a mudar sua personalidade de criança alegre para uma garota triste.

“Eu achei que morreria (mas por dentro)”, relata Marcela que tinha 10 anos quando tudo aconteceu. Mesmo com todo o cuidado que seus pais tiveram, ela foi abusada ao visitar “um parente confiável”.

“Não foi um estupro, foram carícias indevidas diversas por um longo período, fiquei muito confusa e com medo, entrei em pânico, não consegui reagir. Não havia socorro, todo mundo sabia que eu estava passeando na fazenda com ‘um parente confiável’”.

Marcela demorou três anos para contar aos seus pais o ocorrido e só o fez ao ser questionada por sua mãe  sobre sua mudança de comportamento. “Meu pai e irmão foram meus heróis após saberem, doeu ver a angústia profunda e a frustração deles por não terem estado ali e, minha mãe meu socorro emocionalmente”,  contou a cantora.

Saiba + Conselho de Pastores de Miracema realiza o Primeiro Festival de Música Gospel do Município

Foi ao entender que a situação não poderia paraliza-la, Marcela relatou que entendeu que não foi criada para ser uma pessoa amarga e que seu ministério nasceu naquele momento.

“Aprendi ser muito mais amável e entender a dor do próximo, por isso quis ajudar com canções, decidi trocar maldição por bençãos, manter a esperança! Não aceitei o refúgio da ‘pena’, não aceitei vida manca, a culpa não era minha! Inclusive, perdoei quem me feriu, não que isso o liberou do erro, mas me liberou, voei alto em todos os sentidos e áreas da minha vida”.

Saiba + Me tornei uma pessoa mais humilde nas minhas palavras, diz Thalles Roberto

O relato da cantora serviu para incentivar outras pessoas a vencerem a tristeza. “Não deixe a tristeza vencer, Ele pode curar qualquer ferida!”, declarou ela citando a campanha Setembro Amarelo contra o suicídio.

View this post on Instagram

Eu achei que morreria (Mas por dentro). Tinha *10 anos, e embora tenha tido pais tão cuidadosos ao ponto de na infância nem me deixarem dormir na casa das amiguinhas, não deixarem eu sentar em colo de adultos e até trancarem a porta do meu quarto quando alguma visita dormia em nossa casa por menos suspeita que fosse… Aconteceu, e veio por onde menos se esperava, sofri um abuso sexual. Não foi um estupro, foram carícias indevidas diversas por um longo período, fiquei mt confusa e com medo, entrei em pânico, não consegui reagir. Ñ havia socorro, todo mundo sabia que eu estava passeando na fazenda com “um parente confiável”. (Pais, não confiem em ninguém.) Meu pai e irmão foram meus heróis após saberem, doeu ver a angústia profunda e a frustração deles por não terem estado ali e, minha mãe meu socorro emocionalmente… O problema é q demorei 3 anos p/ contar por ser um parente, quis poupar a esposa e os filhos do homem… (NÃO façam isso) Até um dia q lembro-me desmoronar no chão da cozinha qndo minha mãe, depois de tanto tempo insistindo, me perguntar angustiada: “Filha, você mudou! Era tão alegre e doce, agora é triste, o q aconteceu?”. Ouvir aquilo me quebrou, Deus não havia me feito p/ ser amarga! Sou viva demais p/ aceitar viver pela metade! Durante mts noites chorando orei: “Ou isso me mata ou isso me fortalece! Deus, não irei te culpar embora não compreenda o porquê, mas, se o Senhor prometeu q todas as coisas cooperam p/ aqueles que te amam, eu quero uma resposta.” Sem saber, meu Ministério havia começado ali. Aprendi ser muito mais amável e entender a dor do próximo, por isso quis ajudar com canções, decidi trocar maldição por bençãos, manter a esperança! Ñ aceitei o refúgio da “pena”, ñ aceitei vida manca, a culpa não era minha! Inclusive, perdoei quem me feriu, ñ que isso o liberou do erro, mas me liberou, voei alto em todos os sentidos e áreas da minha vida. Ter fé me fez sobreviver, Deus é justo e recompensador, ampara com amor avassalador. NÃO deixe a tristeza vencer, Ele pode curar qualquer ferida! Participe desta corrente encorajadora, conte sua história, tire foto com um papel escrito esta frase e use a tag #EuSobrevivi • #SetembroAmarelo

A post shared by Marcela Taís (@marcelataisoficial) on