O apóstolo Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, enfrenta outra batalha na justiça: provar sua inocência em um processo milionário movido contra ele por um repórter do SBT. A dívida, caso o apóstolo perca a causa é de R$ 48 milhões de reais.

Segundo o site Notícias da TV, Everton Luiz Di Souza, repórter do SBT conhecido pelo codinome Fofoquito, acusa o apóstolo de não pagamento de direitos autorais pela composição de uma música e pela direção e produção de um documentário biográfico sobre a vida do religioso. Ainda segundo a reportagem, entre os êxitos obtidos pelo repórter estão os resultados de duas perícias que o reconheceram como autor da música Deus, Vem Me Ajudar, presente no álbum Deus Cuidará, lançado pelo pastor em 2011, e também como diretor e produtor do DVD. Além disso, conseguiu a extinção de um pedido de impugnação do valor promovido pelo pastor. “O juiz entende que os R$ 48 milhões estão corretos, porque o valor é embasado na legislação vigente”, disse o advogado José Pereira Leal Junior ao Notícias da TV.

VEJA TAMBÉM
Valdemiro Santiago lança propósito das 100 mil chaves por R$ 300,00 cada uma

Fim do Pânico na Band lembra “maldição” de Valdemiro Santiago

Valdemiro Santiago é criticado pelo padre Fábio de Melo e rebate: “nunca vi o senhor curar”

O representante do repórter do Fofocalizando contou que a decisão do juiz pode sair a qualquer instante, já que foram entregues todas as provas documentais necessárias para o andamento do processo, além das perícias.

Everton Di Souza, o Fofoquito (à esq.), durante reportagem para o programa Fofocalizando, do SBT

O repórter disse que não tem mágoas do líder evangélico, mas que decidiu buscar seus direitos na Justiça por se sentir enganado e usado por Valdemiro Santiago, já que ele não mais fazia parte do quadro de funcionários da Igreja Mundial do Poder de Deus quando a música de sua autoria foi lançada em um CD da banda da igreja do pastor sem o seu consentimento.

A decisão é esperada e pode ser que o juiz estabeleça um valor menor para pagamento, mas de toda forma o repórter espera ansioso o desfecho. Procurado, o apóstolo ainda não manifestou sobre o caso.