“Precisamos trabalhar como um todo. A criança precisa ter uma excelente base para chegar à universidade preparada e, quando lá estiver, ter um ensino excepcional com professores valorizados e segurança para estudar”, disse Amastha,

Implantação de escolas de tempo integral temáticas, cursinhos gratuitos para ingresso nas universidades públicas, bolsas de incentivos a alunos de universidades privadas, valorização dos professores e investimento em pesquisa e extensão irão balizar a política educacional do Estado, garantiu o candidato a governador Carlos Amastha (PSB) durante encontro promovido pela Diretoria Acadêmica da Universidade Federal do Tocantins (UFT) em Gurupi, na noite desta quinta-feira, 13.

“Precisamos trabalhar como um todo. A criança precisa ter uma excelente base para chegar à universidade preparada e, quando lá estiver, ter um ensino excepcional com professores valorizados e segurança para estudar”, disse Amastha, destacando também o tema da violência que também é uma realidade vivida pelos estudantes.

O candidato a governador lembrou os exemplos das ações na segurança feitas enquanto prefeito de Palmas, como o trabalho dos guardas metropolitanos em conjunto com outras forças militares. “Vamos fazer um serviço interligado de inteligência com a segurança federal e assim proporcionar mais profissionais para atuarem nas ruas”, afirmou Amastha, enfatizando que essas ações proporcionarão segurança necessária às instituições de ensino.

VEJA TAMBÉM
Lúcio Campelo diz que Amastha cobra da população mas não cumpre suas obrigações como empresário

Saiba + Em Araguaína, Amastha arrasta multidão e lembra como foi eleito em Palmas

Presente ao encontro, o candidato vice-governador na chapa liderada pelo ex-prefeito de Palmas, Oswaldo Stival respondeu a tema abordados pelos cerca de 200 alunos, como desenvolvimento socioeconômico  com ênfase  no agronegócio   e silvicultura, garantindo que o governo Amastha estará junto da classe estudantil.

Repercussão

“Foi uma noite proveitosa, visto que saímos daqui esclarecidos e colocamos nossos problemas em pauta”, afirmou o presidente do diretório Eduardo Cortes Ribeiro. “Hoje, em Gurupi, sofremos com a falta de segurança no Câmpus. Já sofremos muitos assaltos aqui dentro. Existe também uma carência no incentivo à pesquisa. O que precisamos é ter acesso aos governantes, dialogar com eles para que vejam nossas reivindicações”, lembrou.

Com informações da Coligação a Verdadeira Mudança