Da Redação JM Notícia

A previsão é que na próxima quinta-feira, 19, os que ainda faltam passar pelo treinamento, façam o curso, concluindo assim, o cronograma da capacitação da testagem rápida (Foto: Igor Flávio)

Quase 100% dos Centros de Saúde da Comunidade da rede de saúde de Palmas já estão realizando o teste rápido para detectar o HIV e Hepatites Virais. Dos 34 centros de saúde, apenas alguns técnicos da unidade do Jardim Taquari ainda não foram capacitados. A previsão é que na próxima quinta-feira, 19, os que ainda faltam passar pelo treinamento, façam o curso, concluindo assim, o cronograma da capacitação da testagem rápida.

O curso é ministrado por uma equipe composta por médicos, enfermeiros e psicólogos para os técnicos de enfermagem da rede. A capacitação consiste em 20 horas na modalidade presencial (teoria e prática), mas os formandos ainda participam do curso teórico com carga horária de 92 horas, pela plataforma Telelab do Ministério da Saúde.

Segundo a enfermeira Regina Rodrigues, que é uma das especialistas da Secretaria Municipal de Saúde, Palmas avançou significativamente nas políticas de enfrentamento de IST/Aids ao ofertar o teste rápido em todas as unidades da Atenção Primária. “Agora, o nosso grande desafio será conscientizar as pessoas sobre a importância de fazer o teste para se em caso da detecção de alguma doença, o tratamento seja feito com mais agilidade”, explica a enfermeira.

VEJA TAMBÉM
AD Esperança promove o evento Ativa Ame nos dias 23 e 24 de setembro

Para a coordenadora de Educação Permanente da Fundação Escola de Saúde Pública de Palmas (Fesp), Socorro Sarmento, a capacitação busca agilizar o acesso ao diagnóstico, ao tratamento e à prevenção do HIV, hepatites virais (B e C) e da sífilis para a população, principalmente a que se encontra em situação de vulnerabilidade social. “Os testes sorológicos exercem papel importante na redução da epidemia global de patologias como HIV, sífilis e hepatites virais, pois são ferramentas simples, de fácil execução e interpretação, inclusive fora do ambiente laboratorial, desde que sejam realizados por profissionais habilitados para a metodologia”, lembra.