Da Redação JM Notícia 

Jalapão é um dos principais pontos turísticos do Tocantins
O governo do Estado perdeu financiamento que já estava aprovado no valor de pelo menos US$ 72 milhões para o turismo. O dinheiro era referente ao Prodetur (Programa de Desenvolvimento Sustentável do Turismo) e seria emprestado, em excelentes condições, pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina.
No entanto, após um ano e meio sem resolver pendências burocráticas e de dívidas da ATS (Agência Tocantinense de Saneamento), o Estado não conseguiu que União fosse a garantidora do contrato, e a operação foi cancelada. A garantia federal é praxe nesse tipo de caso.
Ofício a Carlesse
O ofício informando o cancelamento da operação foi remetido pelo banco ao governador Mauro Carlesse (PHS) no dia 23 de agosto. O diretor representante da instituição financeira no Brasil, Jaime Holguin, lembrou o governador que o Prodetur havia sido aprovado em 8 de dezembro de 2016 e teve prazo de 12 meses, prorrogado por mais 6 meses adicionais, para a assinatura do contrato de empréstimo, o que acabou não ocorrendo.
“Nesse sentido e, considerando que o último prazo para a assinatura do contrato acima mencionado venceu em 08 de junho de 2018, comunicamos vossa excelência a impossibilidade de realizar uma nova extensão do prazo. Desta forma, lamentamos informar que a operação foi cancelada”, ressalta o diretor do banco.
Campanha eleitoral
O cancelamento do contrato vem à tona no momento em que Carlesse, em campanha pela sua reeleição, faz a defesa do turismo como forma de gerar empregos.
“O turismo é um dos grandes potenciais que podemos explorar aqui no Tocantins para gerar renda e emprego para a nossa população. Temos o Jalapão, Cantão, Palmas, as Serras Gerais, entre outros tantos lugares que podem ser explorados de forma responsável e consciente. Entendo que é necessário que o governo tenha comprometimento em investir em infraestrutura dos nossos atrativos, sem se esquecer de qualificar as pessoas para que elas consigam obter uma renda com esta atividade. E a minha gestão tem o compromisso em realizar isso”, disse Carlesse, durante sabatina na Fecomércio, conforme material à imprensa distribuído pela sua própria assessoria de comunicação.
As áreas citadas por Carlesse são exatamente as que vão perder o recurso do empréstimo que já estava aprovado. Veja anexos os três documentos referentes à operação de crédito, inclusive o ofício do banco que confirmou o cancelamento da operação.
COMPARTILHAR