Da Redação JM Notícia 

Ana Amélia

A senadora Ana Amélia (PP-RS), candidata a vice-presidente na chapa de Geraldo Alckmin (PSDB), se posicionou contrária à legalização do aborto, dizendo em entrevista ao Universa, do UOL, que a mulher que interrompe a gestação deva ser criminalizada, porém não com prisão.

“É preciso compreender que a legislação é adequada. A mulher que chegou a esse ponto tem que ser criminalizada, mas não pode ir à prisão”, disse a senadora.

Uma das principais vozes femininas no Senado, Ana Amélia propõe a aplicação de penas alternativas. “Sugiro uma pena alternativa, como trabalhar numa creche ou na educação de meninas. Essa é a minha posição. Mas respeito quem pensa o contrário. Você precisa insistir na educação das jovens e no entendimento de que não podem descuidar da prevenção. As meninas perdem a juventude e a escola por conta de gravidez precoce”, completa.

Segundo o Datafolha, 59% da população brasileira é contra a legalização do aborto. Ainda que o número seja maioria, ele é menor que os 67% que se declaravam contrários em 2015. Esses dados mostram que há um parte considerável da população que mudou de opinião sobre o tema.

VEJA TAMBÉM
Kátia Abreu aceita integrar equipe de Ciro Gomes com propostas para a agropecuária

Vale dizer que o Supremo Tribunal Federal ainda decidirá sobre a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 442 que pede a legalização do aborto para todos os casos, sempre que a gestante assim o desejar.

O STF já realizou dois dias de audiências públicas com opositores e defensores do tema e espera o fim das eleições presidenciais para dar prosseguimento ao julgamento.