Da Redação JM Notícia

“Bahia não pode permitir um senador evangélico no Senado”, dispara petista sobre irmão Lázaro

O crescimento do irmão Lázaro nas pesquisas de intenções de votos ao Senado, tem tirado o sono de muitos políticos graúdos na Bahia, entre eles, está o ex-governador petista Jaques Wagner, que disputa vaga no Senado.  Na última pesquisa divulgada no Estado, pelo Instituto IBOPE, irmão Lázaro aparece em segundo lugar.

Em reportagem divulgada pelo O jornal Tribuna da Bahia, Jacques Wagner diz que a Bahia não pode permitir que um candidato evangélico que ainda por cima faz campanha para Jair Bolsonaro possa ocupar a segunda vaga a que o Estado tem direito no Senado. “A Bahia não merece isso”, afirmou o ex-governador petista.

O presidente do PSC/Bahia, Heber Santana, indignou-se com a declaração de Jaques Wagner e afirmou que o segmento evangélico merece respeito, e que “é Wagner que não merece votos dos evangélicos”. O presidente do PSC/Bahia destaca ainda que “precisamos no Senado é de pessoa honestas e de conduta sem máculas, como Lázaro”.

Saiba + Candidato ao Senado com 8 milhões de seguidores não usa as redes sociais para campanha

VEJA TAMBÉM
Com 400 mil evangélicos, CEADEB vai apoiar reeleição do deputado Samuel Júnior

De forma intolerante e preconceituosa contra a religião cristã, o ex-governador não atacou somente o Irmão Lázaro, mas, milhares de católicos e evangélicos que seguem essa religião, que é maioria no país.

Irmão Lázaro, foi o terceiro Deputado Federal mais bem votado da Bahia, na última eleição e cresce em ritmo acelerado ao Senado, podendo ser o mais votado no Estado.

Pastor Abílio Santana tem conta do Facebook suspensa por criticar concurso de “Jesus Gay”

O Facebook bloqueou por 30 dias a conta do pastor Abílio Santana. Segundo o religioso, o motivo do bloqueio foi uma publicação onde ele criticava um concurso realizado por uma associação LBGT americana que escolhe, anualmente, o “Jesus gay mais gostoso”.

O pastor teceu críticas a este tipo de evento e teve seu conteúdo excluído, ficando impedido de utilizar a rede social. “Quem é que está por trás, monitorando as publicações?”, questionou o pastor.

O Facebook tem servido como plataforma de divulgação de conteúdo progressista, tanto que seu dono, Mark Zuckerber, chegou a ser questionado pelos senadores americanos sobre o desaparecimento de páginas conservadoras e precisou confirmar de que de fato há esse controle para impedir o alcance do conteúdo conservador na plataforma.

VEJA TAMBÉM
Músico é executado durante culto em Igreja evangélica na Bahia

Mesmo ciente de que há uma perseguição contra quem não apoia essas pautas progressistas, o pastor Abílio Santana gravou um vídeo para declarar que não pretende deixar a rede social e nem deixar de dizer o que pensa.

“Não está em mim bater em retirada, não está em mim me calar. Em defesa da fé, da família, da ética e da moral, eu vou sempre protestar. Sou cristão, mas não sou otário”, completou.