Da Redação JM Notícia 

Henrique Meirelles fala aos obreiros da Assembleia de Deus Ministério Belém em São Paulo

Os Tribunais Regionais Eleitorais estão atentos quanto as igrejas evangélicas que estão realizando propaganda eleitoral. Pedidos de oração por candidatos e até mesmo pedidos de votos estão sendo denunciados.

O TRE-RJ chegou a emitir no dia 10 deste mês um aviso lembrando aos líderes religiosos que durante as fiscalizações, além da apreensão do material de campanha, as igrejas também poderão ser interditadas.

No Supremo Tribunal Federal já se abriu precedente jurídico para declarar que pedir votos em igrejas ou eventos religiosos configura crime de abuso de poder econômico e o candidato pode perder o mandato, caso seja eleito.

Alvo de várias fiscalizações, a Igreja Universal do Reino de Deus emitiu uma nota dizendo “discordar da exclusão de milhares de lideranças evangélicas de todas as denominações, que representam mais de 70 milhões de pessoas, de participarem do processo democrático que deve incluir o direito de expressar opiniões políticas”.

Ao jornal O Globo, o bispo Robson Rodovalho, líder da igre Sara Nossa Terra e presidente da Confederação dos Conselhos de Pastores do Brasil  promete levar a questão ao STF.

VEJA TAMBÉM
Carlesse se apresenta como pré-candidato ao Governo do Tocantins na cidade de Paraíso

“Por que só os pastores? E os cantores, os artistas que têm o seu público? Estão cerceando apenas um segmento. Vamos provocar isso no STF. Até entendo que tenham que inibir os excessos. Mas os fiéis percebem quando o pastor está exagerando”, disse.