Da Redação JM Notícia 

Conhecido como Irajá Abreu, o deputado federal e candidato a senador Irajá Silvestre Filho (PSD) está sendo cobrado na Justiça por um calote de quase R$ 5 milhões. A ação, de número 0000013-19.2017.827.2736, tramita na Comarca de Ponte Alta do Tocantins e é movida por Idoli Prante e Germano Rudi Prante.

Eles cobram a execução de título de R$ 4.896.871,71, referente à parte da venda de empresas rurais e fazendas que Irajá, segundo a inicial da ação, não pagou. O contrato foi firmado em 2008 e, depoisde muito tempo tentando receber a quantia que estaria sendo devida pelo deputado, Idoli e Germano ingressaram com a ação na Justiça em 2017.

Os nomes dos imóveis rurais do contrato são: Ponte Alta Agroindústria da Mandioca; Macaxeira Agroindustrial; Vínicola da Ponta e Agriman Ltda. “Do total ora entabulado entre as partes, foram pagos R$ 791.590,00 (setecentos e noventa e um mil, quinhentos e noventa reais), restando como saldo a receber o importe de R$ 2.123.159,30 (dois milhões, cento e vinte um três, cento e cinquenta e nove reais e trinte centavos)”, destaca a inicial da ação. Esse valor de mais de R$ 2,1 milhões é o que está sendo cobrado, acrescido de multas, juros e correção monetária.

VEJA TAMBÉM
Juiz do Pará manda esperar eleição para definir futuro de ação penal contra Carlesse

Cobranças sem sucesso

Os autores da ação detalham que tentaram cobrar várias vezes de Irajá, mas não tiveram sucesso. “Várias foram as tentativas de receber o montante, porém até a presente data, o executado não se prontificou a realizar o acerto vencido nos anos de 2010, 2011, 2012 e 2013. Tal retrospectiva se faz necessário para que torne cristalina o pleito dos Exequentes e para que não haja dúvidas perante este Juízo!”, diz outro trecho da ação.

A tramitação do processo ocorre no juízo da 1ª Escrivania Cível de Ponte Alta. Confira anexas a inicial da ação e a capa do processo no e-proc.

Leia o processo aqui: Inicial x Irajá