Da Redação JM Notícia 

Cantor Gerson Ruffino

A assessoria do cantor Gerson Rufino esclareceu o cancelamento do evento em Paracatu, Minas Gerais, e enviou ao JM Notícia o comprovante de que o cachê foi devolvido.

O contratante, o vereador Gilsomar do Projeto, revelou em um vídeo denúncia que a contratação foi formada em maio para que a apresentação acontecesse em 22 de setembro no 11° Projeto Liberta Paracatu.

Mas segundo a assessoria do cantor, em junho o vereador foi denunciado por ameaçar o ex-vereador Cabo Gilvan por conta da contratação de Rufino. O caso foi parar na Polícia e, ao tomar conhecimento, Rufino decidiu cancelar.

“Pelo fato do cantor ter seu ministério sério eu de maneira nenhuma deixarei de atender um compromisso desde que a data esteja livre. Fechamos uma agenda na cidade dele (Gilsomar) meses antes do evento dele. Porém ele se viu no direito de procurar o pastor ( Gilvan). Desferiu uma série de ameaças, para que o pastor viesse cancelar a agenda conosco. Mas o pastor não deu crédito a ele, sabendo da índole de Gilsomar e do carácter e que tem como costume ameaçar as pessoas”, explicou Romildo que é assessor de Rufino.

VEJA TAMBÉM
Resgate quer se livrar do rótulo de banda gospel: "fazemos rock", declara vocalista

Segundo Romildo o vereador não aceitou a situação e fez ameaças. “No contrato de agenda temos o direito de rescindir o compromisso e devolver o valor depositado.  Mas o mesmo não aceitando a situação revolveu me ameaçar. Também dizendo que se Rufino não comparecesse na agenda iria fazer isso que fez.  Vídeos e denegrir a imagem do cantor e até a minha como secretário do cantor”, contou o pastor Romildo.

Pela data do comprovante dá para ver que o cachê foi devolvido cinco dias antes do evento.