Da Redação JM Notícia 

Em discurso, à tribuna, senadora Kátia Abreu (MDB-TO) (Foto: Moreira Mariz/Agência Senado)

A senadora Kátia Abreu (PDT) usou as redes sociais para dizer que permanecerá neutra durante o segundo turno da eleição presidencial entre os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT).

Kátia explicou que não pretende apoiar “um personagem ou projeto de poder”  e que não se identifica com nenhum dos dois programas de governo apresentados pelos candidatos.

“Eu me manterei neutra nas eleições de segundo turno em função de não me identificar com o projeto dos dois candidatos postos e por não acreditar que conseguirão unir o País e ter tranquilidade para governar”, disse.

A senadora tocantinense também declarou que “o ódio e a truculência nunca foram bons conselheiros” e defendeu o programa de governo apresentado por ela e Ciro Gomes. “O projeto que ajudei a construir com Ciro Gomes e PDT não morreu nesta eleição. Meus sonhos e minhas convicções permanecem vivos e pulsando forte”, disse.

Cumprindo metade de seu mandato, Kátia se compromete a vigiar o novo governo. “Quero estar no Congresso vigilante no controle das promessas, vigilante na qualidade do gasto público e vigilante ao cumprimento da Constituição Federal. Votarei sempre a favor das pessoas, do Tocantins e do Brasil”.

VEJA TAMBÉM
André Valadão é criticado por declarar apoio a Jair Bolsonaro: "Racistas não passarão", disse um internauta

O partido da senadora, porém, firmou acordo com o PT. “O PDT, em nome das históricas lutas do partido e do grande líder Leonel Brizola pela conquista da democracia, lutará para evitar a vitória das forças mais reacionárias e o risco da derrocada da democracia”, explicou.

Á imprensa, Kátia Abreu sugeriu ao candidato do PT que renunciasse e desse a vaga a Ciro Gomes. Segundo as pesquisas de intenção de voto, apenas o candidato do PDT poderia derrotar Bolsonaro no segundo turno.