Da Redação JM Notícia 

O pastor Andrew Brunson foi solto pelas autoridades turcas na última sexta-feira (12) e ao chegar nos Estados Unidos, acompanhado de sua esposa,  Norine, eles oraram pelo Presidente Donald Trump na Casa Branca. 

Brunson disse a Trump que ele e sua família “oram por ele com frequência” e disse que gostaria de orar por ele no Salão Oval e perguntou se isso seria bom. O presidente respondeu: “Bem, eu preciso disso provavelmente mais do que qualquer outra pessoa nesta sala, então seria muito bom, obrigado“.

Com a resposta positiva, o pastor orou: “Senhor Deus, eu peço que você derrame o seu Espírito Santo sobre o Presidente Trump. Que você lhe dê sabedoria sobrenatural para realizar todos os planos que você tem para este país e para ele. Peço que você lhe dê sabedoria sobre como liderar este país. Eu peço que você lhe dê perseverança e perseverança e coragem para defender a verdade. Eu peço que você o proteja de calúnias de inimigos, daqueles que minariam. Eu peço que você faça dele um grande líder para este país, com sua sabedoria, força e perseverança, e nós o abençoamos. Que ele seja uma grande bênção para nosso país. Em nome de Jesus, nós os abençoamos. Amém.”

VEJA TAMBÉM
Em momentos de crise, as pessoas preferem oração à mídia social

Após receber a oração,  Trump comentou sobre a soltura, o pastor ficou mais de dois anos preso por ser condenado pelas autoridades turcas que alegavam que ele mantinha ligações com um líder muçulmano que tentou tomar o poder.

Brunson pastoreou uma igreja em Izmir por 25 anos e sua prisão foi considerada como perseguição religiosa, uma vez que é impossível que extremistas mulçumanos façam qualquer tipo de acordo com líderes cristãos.

O pastor foi solto mesmo sendo considerado culpado,  o crime que o acusam tem pena máxima de três anos e ele já havia cumprindo quase toda a pena. A prisão do pastor levou os Estados Unidos a pressionarem a Turquia causando uma crise diplomática entre os países.