Da Redação JM Notícia

Seguindo a decisão dos Estados Unidos, a Austrália pretende transferir sua embaixada em Israel da cidade de Tel Aviv para Jerusalém. O ato simboliza o reconhecimento da cidade como capital de Israel.

O novo primeiro-ministro da Austrália, Scott Morrison, declarou nesta terça-feira (16) que está aberto para esta mudança considerada “uma proposta sensata”.

Na visão do primeiro ministro, não é possível ter resultados diferentes, fazendo as mesmas coisas no que se refere as tenções entre Israel e Palestina, por isso ele reconhece que é preciso tentar coisas novas. “Estamos comprometidos com uma solução de dois Estados”, declarou.

A fala de Morrison, que é evangélico, desagradou o representante palestino na Austrália, Izzat Salah Abudulhadi, que já realizou uma reunião com representantes de países do Oriente Médio para discutir a possibilidade da mudança da baixada australiana para Jerusalém.

Representantes de 12 embaixadas árabes e do norte da África acompanharam a delegação palestina: Kuwait, Jordânia, Argélia, Emirados Árabes, Egito, Sudão, Qatar, Líbano, Arábia Saudita, Marrocos e Iraque.

VEJA TAMBÉM
DIA HISTÓRICO: Vídeo: EUA inauguram, oficialmente, embaixada em Jerusalém

Após a decisão dos Estados Unidos de reconhecer Jerusalém como a capital israelense, o governo de Israel tem incentivado outros países a tomarem a mesma decisão. Até agora só a Guatemala e o Paraguai anunciaram a mudança de suas embaixadas, mas no mês passado, após a mudança na presidência, o Paraguai reverteu sua decisão.

Pelo Twitter, Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel, declarou que conversou com Morrison sobre a proposta. Eu falei hoje com [Scott] Morrison. Ele me informou que está considerando oficialmente reconhecer Jerusalém como a capital de Israel e transferir a embaixada australiana para Jerusalém. Eu sou muito grato por isso. Continuaremos fortalecendo os laços entre [Austrália e Israel]”.