Da Redação JM Notícia

Vereador Filipe Martins (PSC)

Para o vereador de Palmas, Filipe Martins (PSC-TO), é contraditório o conteúdo da “carta aos evangélicos” divulgada na última quarta-feira (17) pelo candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad.

“Uma farsa, mas é o papel do inimigo; roubar, matar e destruir, e também enganar, é o que ele mais gosta de fazer. Mas não vamos cair nessa armadilha”, disse o vereador.

Filipe Martins lembra que Haddad era ministro da Educação quando apoiou o “kit gay”, material voltado aos alunos da rede de escolas públicas do país, continha cartilhas e vídeos com informações relacionadas à ideologia de gênero.

Na época, lideranças conservadoras ligadas às bancadas católica e evangélica, como João Campos (PRB), Marco Feliciano (PODE) e Pastor Eurico (PHS), Eros Biondini (PROS) e outros se uniram e passaram a denunciar o verdadeiro feito do material: a erotização precoce de crianças e a influência ativa sobre adolescentes.

Na carta, Haddad faz menções de textos bíblicos e nega que pautas como defesa do “comunismo, ideologia de gênero, aborto, incesto, fechamento de Igrejas, perseguição aos fiéis, proibição do culto” tenham sido propostas por seu partido.

VEJA TAMBÉM
Bispo Manoel Ferreira se encontra com Bolsonaro e avisa: "Este é o meu candidato a Presidente da República"

No vídeo a seguir, gravado no auge do “kit gay”, o Deputado Federal João Campos faz críticas e cobra explicações quanto ao posicionamento do então ministro.

Assista: