Da Redação JM Notícia

Na tarde desta quarta-feira (24) a Comissão de Políticas Públicas e de Políticas Sociais da Câmara de Palmas realizou uma audiência pública para discutir sobre a contaminação nas águas da Praia das Arnos e o mau cheiro da Estação de Tratamento em Bertaville.

A empresa BRK Ambiental foi convidada para participar da audiência, mas não enviou nenhum representante. Na visão do vereador Filipe Fernandes (DC), a empresa não enviou representantes “porque não quis” e ele citou que há vários erros na contratação dessa empresa.

“Ninguém consegue palpar a planilha dessa empresa. Ninguém consegue ter, é um mistério e quem paga a conta deste mistério somos nós”, declarou.

Fernandes tem defendido os comerciantes da Praia das Arnos que estão com seus comércios prejudicados por conta do esgoto derramado na praia que interditou o lago e afastou os banhistas, fazendo as vendas caírem.

O parlamentar também citou o mau cheiro do Bertaville, problema gerado pela estação de tratamento que existe na região e que tem causado grandes problemas para o bairro.

VEJA TAMBÉM
Cantor Glayson descarta candidatura a vereador em Palmas: “Minha missão é o ministério do louvor”

“Não podemos mais tolerar os desmandos que a BRK está fazendo em nosso município. Não podemos deixar que ela transforme o nosso lago em um Lago Paranoá”, declarou ele que é natural de Brasília e cita um lago famoso da região que está completamente poluído.

O vereador declara que a BRK Ambiental age por falta de uma agência para regular o serviço de tratamento de água e esgoto no Tocantins.

As tarifas também foram questionadas pelo vereador que citou as altas taxas cobradas pela empresa pelo serviço de esgoto e questionou a qualidade da água que é servida. “Devemos cobrar não só o esgoto que é jogado no lago, mas também a qualidade da água que está sendo servida pra gente”, alertou o vereador.

Filipe Fernandes ainda sugeriu a criação de uma comissão mista com outros órgãos de fiscalização para visitar todas as estações de tratamento e cobrar esclarecimentos da empresa.

Para finalizar, o vereador declarou: “Esta Câmara tem o poder de cancelar o contrato dela e fazê-la prestar o serviço em outro estado”.

VEJA TAMBÉM
Aprovado na Câmara, Projeto de Lei de Júnior Geo visa mais transparência nas licitações

Participaram da audiência pública representantes do Ministério Público, Defensoria Pública, Fundação Municipal de Meio Ambiente, ATR, Agência de Regulação, Controle e Fiscalização dos Serviços Públicos de Palmas, Agência Tocantinense de Regulação (ATR), Capitania Fluvial do Araguaia Tocantins Marinha do Brasil, comerciantes, entre outros.