Da Redação JM Notícia 

Nesta quinta-feira (1°) os vereadores de Palmas receberam os técnicos que foram contratados para dar suporte a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga as aplicações suspeitas realizada pelo Instituto de Previdência de Palmas (PreviPalmas).

Os técnicos contratados pela Câmara darão suporte ao processo, ajudando os vereadores em todas as etapas de investigação.

“O momento foi de esclarecer e entender as competências que a CPI e os vereadores podem conduzir para seguir com a investigação e apontar os culpados”, explicou o vereador Filipe Fernandes (DC).

A CPI da PreviPalmas é presidida pelo vereador Júnior Geo (PROS), que já explicou os motivos para a criação desta comissão. “O PreviPalmas é um órgão autônomo, autarquia independente e não pode sofrer interferência direta em sua gestão. A CPI existe para que possamos averiguar as aplicações dos recursos do órgão. A intenção é que os trabalhos da CPI sejam finalizados antes do encerramento de meu mandato na Câmara Municipal”.

Na próxima semana,  os vereadores começarão a ouvir os depoimentos de funcionários do Instituto, além de outras pessoas envolvidas na tomada de decisão sobre os investimentos feitos pelo órgão,  entre os convocados está o ex-prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PSB).

VEJA TAMBÉM
Léo Barbosa denuncia descaso da Prefeitura com praça na Quadra 307 Norte