Da Redação JM Notícia

Ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF)

A ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), se mostrou preocupada com aumento do conservadorismo no Brasil, temendo que direitos fundamentais relacionados a liberdades humanas e equidade social sejam prejudicados.

Ao participar de um evento de comemoração dos 30 anos da Constituição Federal, em Brasília, Lúcia declarou que o mundo atravessa um momento de mudanças que, muitas vezes, se tornam “perigosamente conservadoras”.

“Estamos vivendo uma mudança, não só no Brasil. Uma mudança inclusive conservadora em termos de costumes. Às vezes, na minha compreensão de mundo, que pode não ser a correta, [uma mudança] perigosamente conservadora”, disse.

A ministra do STF entende que “as transformações acontecem”, mas mesmo assim é preocupante. “O que não pode acontecer, nunca, é a transformação contrária às liberdades humanas, aos direitos fundamentais”.

Ela defendeu ainda a luta pela preservação dos avanços fundamentais ao exercício da Cidadania. “Conquistá-los é muito difícil. Destruir e criticar tudo é muito fácil, mas isto não leva a lugar nenhum”, declarou.

VEJA TAMBÉM
STF recebe nova ação contra Lei da Terceirização

Para ela, a Constituição, promulgada em 5 de outubro de 1988, cumpre bem o seu papel e nunca foi inadequada. “Ela é a Constituição que o povo brasileiro entendeu de fazer em um momento em que o país saia de uma ditadura”.